BCE aconselha Banco Popular a garantir injeção de capital antes da venda

A administração do Banco Popular quer garantir um aumento de capital. Segundo o El País, o BCE considera que a venda é a forma mais segura de recuperar o banco.

O Banco Popular está à procura de uma solução que garanta um reforço de capital e o Banco Central Europeu (BCE) vê uma fusão com outra instituição financeira como a melhor solução, segundo noticia esta sexta-feira o El País. Os também espanhóis Bankia e Santander estão entre as opções de compradores para o Banco Popular.

A administração da instituição, que se reuniu esta quinta-feira, planeava um aumento de capital, mas segundo o jornal espanhol, o regulador considera que a venda é a forma mais segura de recuperar o banco. O BCE terá alertado a administração liderada por Emilio Saracho para os riscos de fechar uma venda sem garantir acionistas que injetem capital no banco.

O Bankia e o Santander já apresentaram ofertas não vinculativas de compra, enquanto o CaixaBank, dono do BPI, estará também a preparar uma proposta, que poderá ser entregue até dia 10 de junho. O analista da CreditSights Ltd. em Londres, Puja Karia, acredita que “o melhor resultado seria um acordo em cima da mesa – seria a solução mais limpa”, defendendo que o processo “não pode demorar”, em declarações à Bloomberg.

Já o analista da Keefe Bruyette & Woods, Daragh Quinn, lembrou que o “Popular não tem grande poder de negociação neste momento”. O espanhol fechou o primeiro trimestre de 2017 com um prejuízo de 137 milhões de euros, devido a provisões de 496 milhões de euros no negócio imobiliário. No ano passado, as perdas do Banco Popular ascenderam a quase 3,5 mil milhões de euros.

 





Mais notícias
PUB
PUB
PUB