Bancos pedem execução da coleção Berardo por dívida de 500 milhões

Em causa está um crédito concedido a Joe Berardo pela CGD, pelo BCP e pelo Novo Banco, e que foi usado para comprar valores mobiliários.

A Caixa Geral de Depósitos, o BCP e o Novo Banco deram ordem de execução à coleção Berardo, alvo de uma penhora sobre 75% do conjunto, devido ao incumprimento por parte de Joe Berardo. Segundo noticia o jornal Público, o investidor tem uma dívida de cerca de 500 milhões de euros, concedidos em 2007 para comprar valores mobiliários.

Devido a uma situação de incumprimento por parte de Berardo, os principais credores deram ordem de execução. No entanto, é necessário que o tribunal estabeleça uma relação de propriedade entre a Associação da Fundação Berardo e as obras de arte da Colecção de Arte Moderna do CCB para que seja possível executar o montante em dívida, escreve o matutino.

Em declarações ao Público, altos quadros da CGD, do BCP e do Novo Banco sublinharam que a relação “do cliente não é igual nos três casos”. Simultaneamente à ordem de execução da penhora, estão a decorrer diligências para chegar a entendimento e minimizar as perdas para ambas as partes. O objetivo da CGD, do BCP e do Novo Banco será evitar um processo que culmine em litigância.



Mais notícias