InícioNotícia escrita porShrikesh Laxmidas

slaxmidas@jornaleconomico.pt

Notícias em destaque

Os títulos do banco liderado por Nuno Amado tombaram mais de 11% hoje na bolsa de Lisboa, no primeiro dia da negociação dos direitos de subscrição do aumento de capital.

Em relação à dívida portuguesa, a gestora de ativos continua em modo de espera e especialmente atenta aos ratings.

É consensual: a probabilidade da reunião de hoje do BCE resultar em novas medidas é quase nula. As atenções vão estar centradas em eventuais sinais sobre o plano para reduzir as compras de ativos e no ‘hacking’ da conta de email de Draghi.

Os deputados em Westminster vão poder votar sobre o acordo do Brexit, prometeu Theresa May.

As atenções estão centradas no discurso de hoje de Theresa May, especialmente após o Sunday Times ter revelado que a líder britânica poderá sinalizar a saída do mercado único de bens e serviços.

Muitas vezes ofuscado pelo cântico “Yes, we can”, até no discurso de despedida esta semana, o slogan “Change we can believe in”, da campanha de 2008 poderá ser o melhor barómetro para analisarmos o legado de Barack Obama.

O presidente-eleito centrou as atenções. O setor farmacêutico sentiu as críticas, mas os índices acabaram em alta pois Trump falou pouco sobre os estímulos, castigando o dólar e fazendo disparar o petróleo.