InícioNotícia escrita porSafaa Dib, Editora

Hoje, os valores da missão das Nações Unidas não deixaram de fazer sentido, muito pelo contrário. Mas, para acreditarmos de novo na instituição, esta não pode deixar-se paralisar pelas agendas dos seus membros.

O Líbano, ao recusar-se a enfrentar os graves problemas existentes, corre o risco de abraçar um futuro sem esperança e sem sentido para os mais novos.

A memória de Margarida Tengarrinha permite-lhe homenagear figuras do passado decisivas na situação política do país, e que regressam à vida numa obra que resiste à “corrupção da morte”.

Como podemos ensinar rapazes e raparigas desde muito cedo a respeitar-se mutuamente? Que tipo de intervenção é feita nas escolas para uma maior consciencialização?

O mundo começa a despertar para os perigos a que a democracia foi exposta: os manipuladores informáticos agem como mercenários, a soldo da entidade que desembolsar mais dinheiro.

Se abrirmos amanhã três novas livrarias independentes no país, o que teria de mudar para que estes livreiros deixassem de ser considerados uma espécie em extinção?

Outrora, a Fundação Gulbenkian compreendeu a importância de um investimento estratégico nas Artes e Cultura. O que é necessário para recuperarmos essa visão?

O MeToo tornou-se um movimento que excedeu as expetativas de todos e começou a derrubar muros em muitas outras áreas. Sim, há alguma hipocrisia, aproveitamento mediático e vingança, mas tudo isso perde-se na convicção de que esta cultura de impunidade não pode mais ser tolerada.