InícioNotícia escrita porRicardo Santos Ferreira

rsferreira@jornaleconomico.pt

Portugal comprometeu-se com a NATO a aumentar a despesa em Defesa para 1,66% do PIB, até 2024, podendo chegar a 1,98% se conseguir obter os fundos comunitários a que se irá candidatar no âmbito do próximo Quadro Financeiro Plurianual da UE

Oliveira Martins reafirma a opção do Montijo para resolver o problema do aeroporto de Lisboa, diz que o calendário para a concretizar a solução é firme e quer maior coordenação para melhorar o serviço.

O Conselho das Finanças Públicas assinala que o primeiro trimestre foi o melhor dos últimos três anos, mas alerta para efeitos do Novo Banco e do subsídio de Natal.

Embora acredite que “a dinâmica de crescimento se fortaleça de alguma forma durante o segundo semestre do ano”, Bruxelas adverte para uma“crescente incerteza”.

O IGCP – Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública colocou 950 milhões de euros num duplo leilão de OT a 10 e 16 anos, a taxas mais baixas que nas emissões comparáveis anteriores.

Foram colocados 650 milhões de euros, a 10 anos, a uma taxa de 1,727%, e 300 milhões de euros, a 16 anos – com maturidade em 2034 –, pagando 2,257%.

Desaceleração pronunciada de 12,6 pontos percentuais das importações, para 0,3%, permitiu uma redução do défice comercial.

O regulador da auditoria considera que é preciso haver uma aposta clara na qualidade dos serviços prestados pelos agentes do mercado e que há espaço para melhorar. E definiu que esta é a prioridade.

PUB
PUB
PUB