InícioNotícia escrita porRicardo Junqueiro, Advogado

Na altura de recrutar, muitas empresas valorizam os jovens que praticam râguebi pelo espírito de equipa, pelo sentido de compromisso, por saberem fixar objetivos realistas e darem tudo para os alcançar.

Se vamos viver em comum e posso ser chamado a pagar as tuas contas, quero assegurar-me de que és sensato nos gastos. Precisamos de regras.

A “declaração de guerra” aos bloqueios geográficos e as novas regras sobre portabilidade de conteúdos dentro da UE são outro desígnio para a criação de um mercado único digital.

Ainda estamos a viver no passado, mas tudo indica que em breve teremos mais uma importantíssima ferramenta para nos tornarmos numa economia dinâmica e concorrencial.

Como o CSEF não vai substituir a AdC mas apenas ficar com competências sobrepostas, passaremos a ter duas entidades com “elevadíssima especialização” na mesma área. Boa ideia? Tudo indica que não.

Nos últimos anos, o contexto geral de entusiasmo com o digital tornou as restrições às vendas online verdadeiros sacrilégios, olhando-se para as regras de defesa da concorrência como ferramentas para as travar.

A tecnologia não vai eliminar o trabalho. Vai transformá-lo. O verdadeiro desafio é como preparar um amanhã que não conhecemos.

Não são apenas os fundos públicos que ficam pelo caminho. São também os mecenas que, antes do próximo contributo, questionarão se estão efetivamente a financiar apoio social ou antes usos pessoais.