InícioNotícia escrita porPatrícia Calca, Politóloga

Por mais que gostássemos, os estados, também o português, não são ONG com ideais de altruísmo e intentos de "salvação das almas".

Há todo um rol de problemas que podem ser minorados com legislação mais direcionada, e ainda que a legislação por si só não mude totalmente a “cultura” da maioria das instituições, pode melhorar a Universidade.

Num mundo em que o 'Big Brother' de Orwell se aproxima cada vez mais do real, resta-nos saber onde fica a distinção entre a esfera pública e a esfera privada.

Para termos um país melhor temos que ter melhor educação a todos os níveis. A Universidade tem de continuar a modernizar-se e a quebrar os gritos dos “velhos do Restelo” do costume.

Por coincidência ou não, está na AR, para votação posterior às autárquicas, a revisão das finanças locais, onde os municípios têm um papel central, ou deveriam ter.

Regra geral, os secretários de Estado existem nos governos com propósitos concretos e não apenas para dar lugar aos "boys”, se bem que esse seja também um apanágio da função.

A União Europeia (UE) tem procurado (muitas das vezes sem sucesso e com consequências mais nefastas do que positivas) agir aqui e ali no território da ex-Jugoslávia, mas ainda que muito parcialmente.

A violência vende. Vende para os meios de comunicação social, obrigados a sobreviver, e vende para os políticos em geral.