InícioNotícia escrita porPatrícia Calca, Politóloga

Para termos um país melhor temos que ter melhor educação a todos os níveis. A Universidade tem de continuar a modernizar-se e a quebrar os gritos dos “velhos do Restelo” do costume.

Por coincidência ou não, está na AR, para votação posterior às autárquicas, a revisão das finanças locais, onde os municípios têm um papel central, ou deveriam ter.

Regra geral, os secretários de Estado existem nos governos com propósitos concretos e não apenas para dar lugar aos "boys”, se bem que esse seja também um apanágio da função.

A União Europeia (UE) tem procurado (muitas das vezes sem sucesso e com consequências mais nefastas do que positivas) agir aqui e ali no território da ex-Jugoslávia, mas ainda que muito parcialmente.

A violência vende. Vende para os meios de comunicação social, obrigados a sobreviver, e vende para os políticos em geral.

O fenómeno populista vai além da mera ideologia e assenta, maioritariamente, num desrespeito, ou tentativa de desrespeito, face à garantia de um equilíbrio institucional no seio das democracias.

Precisamos, mais do que nunca, de quem tome decisões com rigor para a unidade possível na UE enquanto objetivo maior.

O investimento que se faz em ciência, nas suas mais diversas subáreas, tem mais a ver com um intrincado processo político, muito mais difícil de definir, do que poderíamos pensar.