InícioNotícia escrita porLígia Simões

lsimoes@jornaleconomico.pt

O sorteio vai ser transmitido às 18h50 na RTP, segundo uma informação enviada por email pela Autoridade Tributária (AT) para os contribuintes.

A IGF conclui que, em cinco anos, taxa de controlo de operações para offshores não ultrapassou os 50% dos contribuintes seleccionados. E dá conta de acréscimos de 25 milhões de euros na matéria colectável, resultantes de inspecções e que se traduziram em sete milhões de euros de receita fiscal.

Relatório da Inspecção Geral de Finanças conclui pela existência de anomalias informáticas para justificar ‘apagão’ fiscal de 10 mil milhões de euros, entre 2011 e 2014. E sugere que se averigue responsabilidade dos serviços e/ou das empresas informáticas contratadas.

Relatório da Inspecção Geral de Finanças conclui pela existência de anomalias informáticas para justificar falhas de controlo do fisco nas transferências de 10 mil milhões de euros para offshores entre 2011 e 2014.

Setor da construção está finalmente a recuperar dos mínimos com o investimento a atingir, nos primeiros três meses do ano, níveis recorde que já não eram registados há 15 anos. Evolução do mercado residencial imobiliário é principal responsável pela recuperação.

Socialistas avançam com legislação para melhorar a regulação e supervisão do setor bancário no próximo ano. Sinalização de nível de risco em produtos financeiros subscritos e novo balcão único de recomendações estão entre as propostas.

Finanças já recebeu auditoria da IGF às falhas de controlo do fisco nas transferências de 10 mil milhões de euros para offshores entre 2011 e 2014. Tutela aguarda resposta da AT quanto a eventual comprometimento de divulgação de dados técnicos para remeter conclusões ao Parlamento e sua posterior divulgação.

Nos cinco primeiros meses, a receita fiscal ascendeu a 15.246 milhões de euros, menos 3,7%. Evolução é explicada por quebra do IRS devido ao aumento dos reembolsos deste imposto. Receita do Imposto sobre o Tabaco também está em queda.