InícioNotícia escrita porAndré Barata, Filósofo

A desmemorização é um processo muito mais subtil do que o revisionismo histórico. Não adultera os factos, mas o quadro em que os interpretamos.

O que António Costa fez foi algo especialmente importante para os dias que correm. Foi uma lição sobre como dispensar o populismo.

Condicionar a liberdade de expressão numa universidade é pôr em causa a sua plena assunção como lugar por excelência da criação de saber e descoberta de verdade.

Lutar pela igualdade de género não deve ser apenas lutar por uma igualdade maior entre homens e mulheres, mas também por libertar ambos dos seus papéis.

Uma política de rendimento universal não será emancipatória, não servirá a participação e inclusão social dos cidadãos se, com ela, não se revolucionar o nosso entendimento do trabalho e da propriedade.

A maior fraqueza da política europeia está em ter deixado de ser há muito, quanto aos fins que persegue, verdadeiramente oposta aos nacionalismos.

Quanto mais imersos num tempo de consumo em aceleração menos o dominamos e mais por ele somos dominados.

É necessário pensar, com coragem política, uma reforma da carreira universitária – e do ensino superior em geral – que atenue a enorme desigualdade piramidal existente.