InícioNotícia escrita porAna Pina

apina@jornaleconomico.pt

O escritor chileno pagou caro pelas opções políticas que fez. A prisão e o exílio marcaram a sua vida, que sempre obedeceu a uma firme convicção: “ter a consciência tranquila é das melhores coisas que podemos sentir quando nos vemos ao espelho”. A escrita continua a ser uma paixão e observar o que o rodeia também. Eis o mundo visto pela lupa do cidadão Sepúlveda.

Ao fim de 15 anos sem editar um álbum de originais, Tito Paris está de volta com “Mim ê Bô”. Não perdeu o jeito. As raízes estão lá e o crioulo e a morabeza de Cabo Verde também, já para não falar em toda a lusofonia que há na sua música. Que é muita e contagiante.

José Eduardo Agualusa tem um novo livro, onde cabe Angola inteira. Do sonho à revolta, passando por uma greve de fome e, claro, esperança. Um livro com um pé na realidade e outro na ficção. Um livro que fala num país dominado por um regime totalitário à beira da desagregação, onde falta uma liderança para dirigir o descontentamento e inaugurar uma nova era. Angola vai a eleições em Agosto e “ninguém sabe o que pode acontecer”.

Elvira Fortunato é uma “fazedora” por excelência. Fazer é, pois, o seu verbo de eleição. Licenciada em Engenharia Física e dos Materiais, doutorou-se em 1995 com distinção e louvor. Assumiu a direção do Centro de Investigação de Materiais (CENIMAT) há quase duas décadas e não tem dúvidas de que “vale a pena fazer investigação em Portugal”.

A historiadora e investigadora fala-nos da infância feliz, dos excessos e arrependimentos, do sentido que a política deu à sua vida até romper com ela, do interesse com que observa as mudanças em curso na Europa e no mundo.

Uma entrevista serve para perceber o que vai na cabeça do entrevistado e, neste caso, ficámos a saber como custa pagar promessas. Mais. O realizador João Canijo garante que, quando terminou este filme, a sua estranheza em relação à necessidade de Deus aumentou.

Catarina Alfaro, a coordenadora da Programação da Casa das Histórias, em Cascais, fala-nos do poder mágico e revelador das pinturas de Paula Rego a propósito da exposição que hoje inaugura: “Paula Rego: Histórias & Segredos”.

Conversámos com Nick Willing, cineasta e filho da pintora Paula Rego, a propósito da estreia do seu documentário “Histórias & Segredos”.