Argentina vai voltar a pedir ajuda financeira ao FMI

A Argentina tinha deixado de pedir empréstimos ao FMI há mais de dez anos, desde que pagou a dívida com a instituição financeira e renegociou com a maior parte dos credores.

O governo da Argentina vai voltar a recorrer ao Fundo Monetário Internacional (FMI), em busca de apoio externo, para equilibrar a situação financeira do país, depois do dólar ter disparado na semana passada. O anúncio foi feito pelo presidente argentino, Mauricio Macri, governante que se encontra há mais de dois anos no cargo.

A Argentina tinha deixado de pedir empréstimos ao FMI há mais de dez anos, desde que pagou a dívida com a instituição financeira e renegociou com a maior parte dos credores.

Macri fez o anúncio no momento em que os argentinos ainda procuram compreender as últimas medidas económicas adotadas para travar o disparo do dólar. As ações não foram suficientes para dissipar a preocupação com a capacidade do governo de conter a inflação e evitar outra desvalorização do peso.

A moeda norte-americana chegou a 23,40 pesos nesta terça-feira, dia 8.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB