A Europa é a ‘mãe’ de todos os empreendedores

Carlos Moedas, Comissário Europeu da Investigação, Ciência e Inovação referiu hoje na entrega dos prémios da Bolsa do Empreendedorismo da Comissão Europeia 2017, que "A Europa é, sem dúvida, um dos maiores projetos de inovação social de sempre".

Carlos Moedas, Comissário Europeu da Investigação, Ciência e Inovação, e a Secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa, Graça Fonseca, inauguraram a quinta edição do evento “Bolsa do Empreendedorismo 2017”, que decorreu esta manhã na Fundação Champalimaud, em Lisboa, tendo Filipe Almeida, Presidente da Portugal Inovação Social como moderador no painel de abertura.

Filipe Almeida afirmou que “inovar é resistir ao presente”, considerando que, na base de qualquer processo de empreendedorismo estão sempre, pelo menos, quatro fatores conjugados para que esse processo se concretize. O primeiro, enumera, é a “consciência de que há um problema que deve ser resolvido”. Depois, “a inquietação que permite gerar uma nova ideia que permite gerar este problema”. Como terceiro factor, diz, é necessária “a transformação dessa ideia num projeto coerente” e por último, a “imobilização de recursos para a implementação e desenvolvimento do projeto”. Por isso, “na base de um espírito empreendedor está sempre a inquietação”, finaliza.

Graça Fonseca considerou que empreender é um conceito que implica “falar, ouvir e ver”, pelo que o mais importante é “tentar criar algo novo, que nunca ninguém fez e que está por ser inventado”, considerando ainda que ” o sistema empreendedor está muito afastado do setor público, “no entanto, admite, que” o setor público é talvez o melhor mercado de todos para testar produtos e serviços”, uma vez que, por um lado, o Estado consome muita tecnologia e software. Por outro, se um produto sobreviver ao  setor público, sobrevive em qualquer parte do mundo”, afirma.

Em declarações ao Jornal Económico, Carlos Moedas, afirmou que a Europa é um dos maiores projetos de inovação social de sempre, lembrando que Robert Schuman foi “um empreendedor” no sentido em que criou a arquitetura europeia.

Moedas acrescenta ainda que “a Europa foi feita de empreendedores. Hoje é o Dia da Europa em que Robert Schuman, a 9 de maio 1950, fez uma declaração que era revolucionária, no sentido em que criou a arquitetura europeia, daí que seja um empreendedor”.

Robert Schuman, Jean Monnet e Paul-Henri Spaak sabiam que “o caminho não ia ser fácil, que ia haver altos e baixos”, explicou Carlos Moedas, lembrando que acreditavam também que era “um caminho que valia a pena. Tal como os atuais empreendedores”.

“Portugal  vive um momento extraordinário para o empreendedorismo, não só pelas oportunidades, mas também pela energia positiva que vivemos em Portugal em relação às startups ou empreendedorismo, à inovação e isso é muito bom para o país e para o futuro da Europa”, admite o Comissário Europeu da Investigação, Ciência e Inovação.

Carlos Moedas salienta ainda que os empreendedores são aqueles que têm tudo a ganhar com a Europa, porque” quando se é empreendedor, nós queremos ser capazes de vender os nossos produtos noutros países, os empreendedores precisam de viajar, de ter a ambição de que se criarem uma empresa em Portugal, podem expandir também para qualquer parte do mundo e, portanto, os empreendedores estão em sintonia com o espírito europeu”, conclui.

 

 

 

 





Mais notícias