41% dos telemóveis Android são vulneráveis a ataques com Wi-Fi

Os dispositivos com Android e Linux são os mais vulneráveis a ataques e os especialistas em segurança informática destacam que alterar a password não é a solução.

Kacper Pempel/Reuters

Investigadores revelaram, esta segunda-feira, que existem fragilidades no que respeita à segurança de dispositivos Android. De acordo com The Verge, os dispositivos com Android e Linux são os mais vulneráveis a ataques, embora todos os outros sistemas operativos possam também ser afetados, já que o problema se encontra no Wi-Fi.

Os “hackers” conseguem ter acesso ao tráfego Wi-Fi entre dispositivos, aceder a pontos de wireless e até modificá-los e injetar malware em websites. Os especialistas afirmam que alguns dos ataques funcionam mesmo crontra as mais modernas redes Wi-Fi, que utilizam encriptações WPA ou WPA 2. Esta vulnerabilidade parte do modelo padrão das próprias redes Wi-Fi e, por isso, afeta dispositivos macOS, Windows, iOS, Android e Linux.

No caso dos dispositivos Android, 41% estão expostos a uma “excecional e devastadora” variante de um ataque através do Wi-Fi que envolve a manipulação do tráfego. Intercetar o tráfego permite aos “hackers” a leitura de informação, precedentemente assumida como seguramente encriptada, sem necessitarem decifrar a password. Estes ataques podem resultar no roubo de números de cartões de crédito, passwords, mensagens, e-mails, fotografias e qualquer tipo de outros meios ou objetos utilizados na comunicação online.

Através do ataque Wi-Fi, os “hackers” podem conseguir injetar ransomware or malware nos websites e fazer com que os aparelhos Android precisem de patches de segurança para se autoproteger. O Google confirma que a empresa está “ciente do problema” e adianta que irá “reparar qualquer dispositivo afetado nas próximas semanas”.

Os especialistas alertam, ainda, que mesmo que os routers não exijam atualizações de segurança, o melhor será verificar diretamente com o fornecedor do aparelho.





Mais notícias