Marcelo tomou “devida nota” das queixas dos lesados do BES que recusaram acordo geral

“Tomei a devida nota e vou ver o que é possível fazer por este grupo, que não entrou no acordo geral dos lesados”, afirmou o Presidente da República aos jornalistas, à margem da inauguração do Mercado Temporário do Bolhão, no Porto.

O Presidente da República disse hoje que vai “ver o que é possível fazer pelo grupo que não entrou no acordo geral dos lesados do BES”, após ser abordado pelos que exigem a “devolução da totalidade do investimento”.

“Tomei a devida nota e vou ver o que é possível fazer por este grupo, que não entrou no acordo geral dos lesados [do ex-Banco Espírito Santo (BES)/Novo Banco]”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas, à margem da inauguração do Mercado Temporário do Bolhão, no Porto.

À entrada daquele espaço, o chefe de Estado foi abordado por vários membros deste grupo de lesados, que ainda na terça-feira, no Porto, voltou a exigir a devolução na totalidade dos montantes que lhes “extorquiram com informação falsa”, apelando ao Governo que faça a reversão da provisão existente para os ressarcir.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB