300 mil euros pela liberdade de Ángel María Villar

O juiz decretou que o presidente da Federação Espanhola de Futebol só poderá sair da prisão depois de pagar uma fiança de 300 mil euros.

O futebol espanhol tem sido motivo de várias notícias mediáticas, desde os jogadores aos representantes de mais alto cargo deste desporto.

O presidente da Federação Espanhola de Futebol foi preso depois ser acusado de uma série de crimes relacionados à organização de partidas internacionais ilegais.

Numa operação policial denominada ‘Soule’ em que prenderam Ángel María Villar foram também presos, o seu filho, Gorka Villar, o vice-presidente Juan Padrón e o secretário da federação e Ramón Hernández Bassou.

O juiz decretou hoje uma fiança de 300 mil euros para o responsável da federação recuperar a liberdade.

As autoridades espanholas acreditam que Villar e o seu filho usavam estas operações para benefício próprio, acabando por prejudicar os cofres da Federação Espanhola de Futebol.

Suspeitos de vários crimes como administração desleal, apropriação indevida, corrupção entre particulares, falsificação de documentos e ocultação de bens, as fianças vão desde os 150 mil aos 300 mil euros.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB