InícioEt Cetera
Et Cetera

O Seixal foi a escolhada jornalista Rita Marrafa de Carvalho para um passeio. Viveu neste concelho mais de 20 anos e foi também aqui que deu os primeiros passos na carreira que abraçou.

O coordenador autárquico do PSD acredita na possibilidade de um bom desempenho nas urnas de voto e, nesse sentido, reitera o objetivo de ganhar o maior número de autarquias, superando assim os rivais do PS.

Há sardinhas para escolher, mas antes disso vamos à água com o comunicador para tentar perceber a história do “produtor das histórias” que há 15 anos ouve nos estúdios da Antena 3 e fora deles. Colocámos ainda Fernando Alvim à beira do abismo e anotámos revelações de fobias e felicidade do também apresentador de TV... que escolheu não ver televisão.

A Impossible Labs é uma agência especializada em design e engenharia de produto que se dedica a resolver problemas para algumas das maiores empresas do mundo, como a Google ou a Samsung.

Entre 2007 e 2016, o Estado gastou cerca de 13 mil milhões de euros (correspondendo a 7% do PIB de 2016) em medidas de apoio ao sistema financeiro. Além dos números, grandes e redondos, a crise dos bancos portugueses gerou dramas pessoais, entre clientes que dizem ter sido espoliados e funcionários bancários apanhados no processo de reestruturação do setor. O Jornal Económico recolheu diversos testemunhos e conta as suas histórias nestas páginas, expondo a vertente humana, as vítimas concretas, a crise dos bancos.

A Operação Condor vai estar em exposição no Terreiro de Paço desde o dia 20 de Abril até 18 de julho. Da autoria de João Pina, de 36 anos, Portugal é o décimo país a receber esta exposição. Este é um trabalho que demorou nove anos a ser realizado e levou o fotojornalista a viajar por seis países: Brasil, Bolívia, Uruguai, Paraguai, Argentina e Chile.

Ricardo Leite é o único semifinalista português no “Berlin Student Film Festival”. Ganhou o prémio de melhor curta de janeiro no “ShortCutz” Lisboa e no de Viseu. Ainda vai estar em Faro e em Ovar, mas no estrangeiro também, em Cannes, e na Grécia.

Luís Freitas Lobo vive no Porto e, como nos explica ao telefone, viveu toda a sua infância no norte do país. Em Lisboa, há um sítio pelo qual tem um carinho especial. “Já não vou lá… nem sei há quanto tempo… há mais de 20 anos….”, conta-nos, ainda por telefone, enquanto organizamos a ida ao Jardim Zoológico.