InícioEspeciaisEspecial 25 de abril 2018
Especial 25 de abril 2018

“Quarenta e quatro anos passados, a dimensão desta manifestação e de outras confirma que estamos perante esse ato tão importante na vida da história de Portugal e dos portugueses”, disse o secretário-geral do Partido Comunista Português.

Numa tarde de calor, António Costa apareceu nos festejos das comemorações da revolução de 25 de Abril, nos jardins de São Bento, por volta das 15:00, surgindo descontraído, sem gravata e com um cravo vermelho na lapela.

A liderar o desfile, que saiu do Marquês de Pombal por volta das 15:45 rumo ao Rossio, está a chaimite da Associação 25 de abril que todos os anos marca o ritmo da marcha.

Questionado sobre quem são os alvos da parte do discurso em que o Presidente da República se referiu ao "messianismo" e ao "endeusamento" de políticos, António Costa alegou que "essa é uma pergunta que seguramente tem de ser dirigida a ele".

Estas foram as duas mensagens principais do discurso de Marcelo Rebelo de Sousa na sessão solene comemorativa do 44.º aniversário do 25 de Abril na Assembleia da República, que durou cerca de 15 minutos.

No discurso da sessão solene comemorativa do 44.º aniversário do 25 de Abril, que decorre hoje no parlamento, Isabel Pires começou por chamar a atenção para a existência de presos políticos "aqui ao lado", lamentando a falta de "uma solução política para a Catalunha".

"Democracia é dar garantias a todos, porque todos valemos o mesmo, vivamos numa cidade cosmopolita ou numa aldeia do interior. A nossa Liberdade, como portugueses, só é verdadeira se o for para todos, se existir para todos. A verdade é que 44 anos depois, Abril falhou em Junho e em Outubro", defendeu Ana Rita Bessa.

Na sua intervenção na sessão solene do 25 de Abril na Assembleia da República, a recém-eleita líder da JSD, de 28 anos, lamentou que a política portuguesa esteja cada vez mais fragmentada e com divisões entre "o povo e, eles, os políticos".

PUB
PUB
PUB