InícioObjetivo (Página 2)
Política / Economia

Quando se fala de natalidade, está, pois, a falar-se de economia e de justiça social. De futuro. É por isso que faz todo o sentido colocar a questão de um ponto de vista económico-financeiro, de investimento e de ajuda às famílias

A União Europeia, sabe-o qualquer pessoa que já tivesse vida antes de 1974 ou se interesse pela História, foi uma alavanca para que Portugal pudesse sair do subdesenvolvimento de décadas

Está aí uma iniciativa de cidadãos que propõe ao Estado poupar 11 mil milhões de euros, até 2040, nas rendas a pagar às PPP rodoviárias. Boa ocasião para ver como os deputados se posicionam entre o interesse público e as necessidades privadas.

Joana Marques Vidal, na PGR, tem trabalhado em prol de uma sociedade mais limpa, com menos corrupção, agora até no futebol. É do interesse da comunidade que continue no cargo. Assim ela também o queira.

Está na altura de não se perder tempo com o assessório e construir uma agenda jornalística independente da agenda político-partidária, que tudo contamina.

Desporto

Tirando Kroos e o desgastado Thomas Müller, do meio-campo para a frente acabaram as referências com a reforma de Lahm e Schweinsteiger. Ou seja, está na hora de mexer com profundidade no quadro habitual de jogadores. Talvez, até, de debater Löw

Uma jornada marcada por grandes momentos de ex-"portugueses". Marcos Rojo marcou o golo da qualificação da Argentina e Carrillo, de novo o melhor no Peru, também com golo, voltou a provar que deve algo a si próprio e à sua carreira

O jogo de Portugal foi medíocre. Fernando Santos procurou jogar com o resultado do Espanha-Marrocos. Quando quis mexer já era tarde para ganhar o grupo. Nunca saberemos se foi uma oportunidade perdida, mas todos vimos que a qualificação esteve por um fio. Assim sendo, não foi mau de todo...

Vencer o grupo, ou seja, marcar mais golos do que a Espanha (nas 'lógicas' vitórias esperadas), valerá escapar à parte do quadro onde, na fase seguinte, estarão muito presumivelmente muitos dos maiores candidatos à vitória final

A Alemanha, que mereceu vencer a Suécia depois de ter estado à beira do KO na primeira parte, volta a depender de si própria. Esteve a segundos de ficar numa situação de provável eliminação mas agora, claro, retoma o seu papel de um dos maiores candidatos a ganhar o Mundial

Atualidade

Primeiro, o tributo ao passado recente. O elogio a Pedro Passos Coelho. Ouvindo-o falar assim, poucos devem ter sido os "companheiros" presentes na sala que se devem ter lembrado das várias críticas, explícitas e implícitas, ao ex-líder no passado recente.

A notícia de que capital angolano poderá estar interessado na compra da Cofina (haja ou não algum intermediário irrevogável a trabalhar o processo) não me surpreende. Há muito que penso que um dia, esgotada que fosse a paciência nos meandros dos inocentes que são perseguidos pela investigação do MP, e provada a inutilidade de todos os comentadores úteis que se distinguem pela sanha ao Correio da Manhã (sempre em nome da Democracia e dos direitos das pessoas, pois claro), algum "take over" acabaria por ser tentado em último recurso.

Nuno Artur Silva (NAS), administrador da RTP para a área dos conteúdos, não vai ser reconduzido. O assunto foi caso de arromba pelos restaurantes de Lisboa e mereceu até, de algumas viúvas, uma choraminguice na praça pública. Também é verdade que os inimigos públicos da NAS se movimentaram nas tribunas da maledicência pura e dura.

Durante anos na Autoeuropa a lógica foi de diálogo entre trabalhadores e conselho de administração. Eram os tempos de António Chora, militante do Bloco de Esquerda, como chefe sindical. Mas Chora reformou-se, o PCP e a sua CGTP viram finalmente surgir a hora de comandarem o processo e hoje vive-se na fábrica uma realidade social diferente.

Na passada edição do 'Jornal Económico' desvendou-se um pouco do que vai ser o futuro de Pedro Passos Coelho depois dos oito anos passados à frente do PSD. Não pretende continuar como deputado e vai deixar a política para ganhar a vida a trabalhar no privado. Dará aulas, fará consultadoria e está já a escrever um livro sobre os seus anos de primeiro-ministro. Provavelmente, acrescento eu, até rejeitou convites para fazer análise política.

Lula da Silva, no Brasil, é o mais recente episódio de uma série muito vista: sempre que um homem dito de esquerda é investigado pela Justiça, por detrás dela, evidentemente, só pode estar uma conspiração "da direita".

A recente entrevista de Rui Moreira ao jornal "Voz de Galícia" visou um objectivo estratégico. Por um lado, cercar o autarca de Vigo com quem se incompatibilizou; por outro, fazer passar uma mensagem importante, a de que há sinergias a conseguir nos transportes ferroviários, aéreos e marítimos

Quando Álvaro Santos Pereira invocou o pastel de nata pretendendo significar um produto nacional que poderia merecer uma aposta de muitos empreendedores, isso fazia todo o sentido. Afinal, estávamos ali - ele que falava, nós que o ouvíamos - na Conferência "Made in Portugal', fez há pouco seis anos.