Winnie The Pooh censurado na China (ou como personagens animadas estão a intrometer-se na política mundial)

Autoridades de censura chinesas baniram o urso amarelo da Internet por este ter sido, diversas vezes, comparado ao presidente chinês Xi Jinping.

Ao longo dos últimos anos, o presidente chinês Xi Jinping tem sido ridicularizado nas redes sociais, sendo comparado ao Winnie The Pooh através de memes e montagens. Todavia, as autoridades de censura chinesas já interviram, banindo a alusão do nome do famoso urso amarelo.

Relata a francesa AFP que foram eliminadas quaisquer referências entre o presidente e Winnie The Pooh nas redes sociais WeChat e Weibo, pelo que se, a partir de hoje, os utilizadores escreverem o nome do urso na secção de comentários, irá surgir uma mensagem de erro por se tratar de “conteúdo ilegal”. Imagens e GIFs do urso foram igualmente removidos, avança a Time.

Uma das montagens mais populares mostra uma imagem do Winnie The Pooh com outra personagem dos desenhos animados, o Tigre, representando uma fotografia, tirada há quatro anos, do presidente Jinping acompanhado pelo ex-presidente norte-americano, Barack Obama.

Outro meme viral mostra Jinping e Shinzo Abe, primeiro-ministro japonês, a apertarem as mãos ao lado de um aperto de mãos entre o Winnie The Pooh e o burro Igor.

Para reforçar o controlo sobre os conteúdos divulgados na Internet, a China pretende, através dos novos regulamentos anunciados, “promover uma cultura sã na Internet e salvaguardar os interesses nacionais e públicos”, adianta a agência de notícias chinesa Xinhua.

Mas o presidente chinês não é o único ridicularizado na Internet através de personagens de desenhos animados. Exemplo disso são o presidente russo, Vladimir Putin, e a primeira-ministra britânica, Theresa May.

Em 2003, relata o The Guardian, os advogados russos afirmaram processar a Warner Bros pelas semelhanças entre o elfo Dobby e Putin, considerando que a personagem foi baseada no presidente russo.

Composição: Rex/PR

Por sua vez, Theresa May foi comparada à Cruela de Vil, não só pelo corte de cabelo semelhante, mas também pelo estilo “Vogue” que ambas utilizam.

Composição: Getty/Allstar



Mais notícias