Wall Street ‘treme’ após acusação de Donald Trump a Barack Obama

O presidente norte-americano escreveu esta tarde no Twitter que o antigo governante e o FBI tinham um informador infiltrado na sua campanha eleitoral. “A ser verdade isto é maior do que o Watergate!”, diz Donald Trump. O índice norte-americano Dow Jones desliza 0,40%.

Reuters

O presidente norte-americano escreveu esta quinta-feira à tarde, na rede social Twitter, que o seu antecessor, Barack Obama, e o FBI tinham um informador infiltrado na sua campanha eleitoral para as últimas presidenciais nos Estados Unidos da América. Pouco depois, a bolsa de Nova Iorque abriu com quedas.

O índice industrial Dow Jones, que serve de referência para as bolsas em todo mundo, deslizou 0,40%, para 24.670,74 pontos. Quanto ao indicador financeiro S&P 500, perdeu 0,28%, começando a sessão de hoje nos 2.714,88 pontos. O índice tecnológico Nasdaq abriu igualmente a negociar no ‘vermelho’ e desvalorizou 0,27% e começou o dia nos 7.378,13 pontos. Também o Russel 2000 desapreciou 0,04%, para 1.615,79 pontos.

Através de uma publicação feita há cerca de uma hora, o governante faz acusações de espionagem sem apresentar provas. “A ser verdade isto é maior do que o Watergate!”, diz.

“As bolsas continuam imparáveis na sua trajetória ascendente. O principal índice francês FRA40 atinge um novo máximo histórico e o índice norte-americano Russel 2000 que agrega as principais small caps, atingiu ontem novo máximo histórico. Do outro lado do Atlântico, a reforma da política fiscal e os bons dados macroeconómicos e empresariais levam as bolsas a valorizar”, destacam os analistas da XTB, na research de mercado publicada hoje.

De acordo com os mesmos responsáveis, os investidores “sentem confiança e não querem ficar de fora das mais-valias”. “Nesta euforia tendem a desvalorizar as informações menos boas que o mercado lança”, acrescentam.

O mercado norte-americano continua à espera que o impasse com Kim Jong-Un se resolve. A Coreia do Norte afirmou esta quarta-feira que não está interessada numa cimeira com os Estados Unidos da América, caso esta seja “unilateral” e se debruce só sobre o desarmamento nuclear da península coreana. O anúncio foi feito depois de o país ter cancelado uma reunião com a vizinha do Sul. A justificação para o cancelamento foram as manobras militares conjuntas de Seul e Washington.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB