Wall Street sem tendência no ‘arranque’ do ‘Brexit’

Para hoje estão previstas as intervenções dos presidentes da FED de Dallas, de São Francisco e de Cleveland e será revelada a estimativa do PIB do 4º trimestre de 2016.

Luke MacGregor/Reuters

O mercado norte-americano negoceia pouco alterado depois do evento marcante de ontem que assinala o inicio da saída do Reino Unido da UE.

O Banco Central da Europa e o dos EUA indicaram trajectos divergentes para as suas politicas monetárias. Bas van Geffen, analista do Rabobank International, alerta, em nota divulgada pela Bloomberg que, “o BCE deverá caminhar com muito cuidado nos próximos meses e não ajustar a sua orientação ou tom antes de se sentir mais à vontade com a economia e a pressão inflacionária”.

Os membros da Fed assumiram um tom rígido nas suas últimas declarações, sugerindo que as taxas podem sofrer um aumento mais rápido do que o mercado antecipa. A maior economia do mundo está perto de alcançar o pleno emprego e uma inflação de 2%.

A atenção dos investidores permanece ainda em parte na reforma da saúde, depois dos republicanos terem dado sinais de que o projecto que pretende desmantelar do ‘Obamacare’ ainda pode ser revisto.

A reforma na área da saúde implica directamente as medidas ‘fenomenais’ no campo fiscal prometidas pelo presidente norte-americano, já que o excedente dessa reforma seria alocado em cortes de impostos e outras medidas favoráveis aos negócios.

Assim, o industrial Dow ganha 0,09% para 20,677.30, o financeiro S&P 500 avança 0,10% para 2,363.35 pontos e o tecnológico valoriza 0,23% para 5,911.07 pontos.

Depois da divulgação dos inventários do petróleo, o setor figurou entre os melhores perfomers na sessão de ontem. O preço do petróleo atingiu ontem o preço mais elevado das últimas três semanas, depois do anúncio do Departamento de Energia norte-americano acerca do aumento nas reservas semanais de crude, mas também da diminuição acima do esperado nos inventários de gasolina.

Para hoje estão previstas as intervenções dos Presidentes da FED de Dallas, de São Francisco e de Cleveland e será revelada a estimativa do PIB do 4º trimestre de 2016.

PUB
PUB
PUB