Wall Street fecha em alta e Spotify vai para a bolsa até março

Bolsa norte-americana em alta em dia de tecnológicas. Apple, Intel e Spotify foram notícia. O petróleo continua imparável.

BRENDAN MCDERMID/Reuters

Os três principais índices de Nova Iorque fecharam em máximos. O Dow Jones avançou 0,40% e conseguiu superar os 24.900 pontos (24.922,68 pontos), o S&P 500 subiu 0,64% e quebrou a barreira de 2.700 pontos (2.713 pontos), e o Nasdaq valorizou 0,84%, até aos 7.065 pontos.

Como em todo o ano de 2017, o Nasdaq voltou a liderar as compras. Os investidores ainda estão “apaixonados” pelos valores tecnológicos, tendo em vista melhores perspectivas de crescimento, reveladas por algumas casas de investimento.

Hoje o dia foi marcado pela controvérsia das baterias dos antigos iPhones, a Apple (+ 1,11%) baixou para 29 dólares o preço das baterias sobressalentes para o iPhone 6 e dispositivos posteriores.

A empresa confirmou que vai trocar a bateria de todos os iPhone 6 e dos modelos superiores, mesmo nos aparelhos que não apresentem problemas.

A nota da Apple é uma resposta da gigante tecnológica ao site “MacRumors”. Os utilizadores que pretendam comprar uma bateria nova, mesmo que a usada esteja a funcionar sem problemas, poderão fazê-lo por 29 dólares, cerca de 25 euros.

Em Portugal, substituir uma bateria do iPhone custa cerca de 99 euros, um preço que deverá cair, depois do anúncio da Apple.

Em termos de notícias de empresas destaque ainda para a Spotify que entrará na Bolsa de Valores de Nova Iorque no primeiro trimestre de 2018 .

De acordo com a Bloomberg, o gigante da música on-line apresentou em dezembro passado a documentação necessária na bolsa de valores dos EUA e quer começar a transacionar no primeiro trimestre do ano. A Spotify quer entrar em bolsa diretamente em vez de ser através de uma oferta pública de venda (OPV).

Spotify, avaliada em 15.000 milhões de dólares, será a maior empresa a tentar uma cotação direta para entrar em bolsa.

A Intel caiu mais de 5% depois de se saber que os seus computadores funcionarão 30% mais devagar para resolver uma violação de segurança. Foi detectada uma séria falha de segurança nos seus microprocessadores.

Os traders de Wall Street mantêm a aposta de que haverá duas subidas da taxa de juro por parte da Fed. Isto depois da divulgação das atas das últimas reuniões do banco central e por isso os futuros de taxas de juros de curto prazo dos Estados Unidos caíram ligeiramente nesta quarta-feira.

Os responsáveis políticos da Reserva Federal dos Estados Unidos mostraram-se preocupados com o destino da inflação atualmente baixa e viram as recentes mudanças tributárias como um impulso para o gasto dos consumidores, de acordo com as minutas da última reunião de política do banco central dos EUA, de 12 a 13 de dezembro, divulgadas nesta quarta-feira.

A atividade económica no setor industrial aumentou em dezembro e a economia geral cresceu pelo 103º mês consecutivo, diz o Relatório ISM. Os números foram apresentados nesta quarta-feira.

A Associação Profissional ISM divulgou o índice de produção industrial dos Estados Unidos que avançou para 59,7 pontos em dezembro de 2017, perante os 58,2 pontos do mês anterior (novembro). O número ficou acima do esperado pelo mercado (58,1) no último mês do ano.

Os indicadores divulgados refletem a expansão das condições comerciais, com novos pedidos e ganhos de produção; emprego a aumentar a uma taxa mais lenta; exportações e as importações continuaram em crescendo em dezembro.

Das 18 indústrias em análise, 16 registaram crescimento em dezembro (entre elas máquinas; produtos informáticos e eletrónicos; papel; vestuário), e apenas duas indústrias relataram uma contração no período: produtos de madeira e têxtil.

O preço do barril de petróleo WTI, para entrega no mês de março, fechou a subir 2,34% para 61,78 dólares. Já o petróleo Brent, para entrega em março, encerrou hoje no mercado de futuros de Londres a subir 1,90%, para os 67,84 dólares, o valor mais alto de fecho desde dezembro de 2014. Desde janeiro de 2017 este petróleo do Mar do Norte já se valorizou cerca de 20%, em particular depois de o cartel de exportadores e outros produtores terem acordado diminuir a sua produção, para combater o excesso de oferta, o que vão manter em 2018.




Mais notícias