Wall Street dispara e continua a bater records

A divulgação dos dados das vendas a retalho nos EUA, com uma revisão em alta dos resultados esperados, contribuiu para reforçar o otimismo que a economia norte-americana está em crescimento.

Kai Pfaffenbach/Reuters
Kai Pfaffenbach/Reuters

Os principais índices acionistas norte-americanos dispararam esta quarta-feira, impulsionados pelas declarações de ontem de Janet Yellen sobre o aumento das taxas de juro nos EUA, pelos dados da economia e pelo otimismo que Donald Trump irá diminuir os impostos, encerrando em máximos históricos.

O S&P 500 subiu 0,50% para 2,348.25 pontos, após ter atingido durante o dia os 2.351.30 pontos, encerrando pela quinta sessão consecutiva a bater records, o que não acontecia desde setembro de 2013.

O Dow Jones Industrial Average também encerrou a tocar máximos históricos pela sexta sessão consecutiva e avançou 0,52% para os 20,611.86 pontos, após durante o dia ter tocado os 20,620.45 pontos. O Nasdaq seguiu a tendência e escalou 0,64% para os 5,819.44 pontos, após ter tocado máximos históricos durante o dia, tocando os 5.821,95 pontos.

O anúncio do aumento das taxas de juro nos EUA animou os mercados norte-americanos e europeus.

“Se há um ano atrás, Janet Yellen tivesse feito a declaração que fez, os mercados teriam-se assustado, porque os fundamentos eram muito soft”, disse Brad McMillan, diretor de investimentos da Commonwealth Financial Network, citado pela Bloomberg. “Agora,se o Fed aumentar as taxas, isso não irá abalar o mundo, porque as pessoas estão suficientemente confiantes os fundamentos”, acrescentou.

A divulgação dos dados das vendas a retalho nos EUA, com uma revisão em alta dos resultados esperados, contribuiu para reforçar o otimismo que a economia norte-americana está em crescimento. As declarações de Donald Trump sobre uma reforma fiscal contribuiu igualmente para o otimismo das praças.

  • Mário

    Podem acusar Trump do que quiserem mas, o facto é que, as expectativas de crescimento económico são fabulosas.
    Precisamente o que falta em Portugal: crescimento económico.

    • Mario Casanova

      Os mercados financeiros a aplaudir Trump e as suas políticas económicas e orçamentais, por muito que os despreziveis media odiosos tentem deitar o Trump abaixo, todos os dias, incessantemente, os eleitores e os mercados financeiros adoram Trump.

  • Por morrer uma andorinha.

    É o efeito Trump.

  • Mario Casanova

    Os mercados financeiros a aplaudir Trump e as suas políticas económicas e orçamentais, por muito que os despreziveis media odiosos tentem deitar o Trump abaixo, todos os dias, incessantemente, os eleitores e os mercados financeiros adoram o Trump.

  • António Pais

    Vam aí o Trump uhhhhhh

  • Graças a Deus que temos o presidente Clinton! Se for o Trump era o desastre económico!