Wall Street abre em queda na véspera da publicação da inflação de janeiro

Os dados da inflação de dezembro, juntamente com o aumento dos salários norte-americanos foi o gatilho que despoletou a recente correção abrupta em Wall Street. Amanhã são conhecidos os dados da inflação de janeiro. O mercado está a atento.

Reuters

O Dow Jones cai no inicio da sessão 0,39% para 24.504 pontos, ao passo que o Nasdaq perde 0,22% para 6.966,7 pontos e o S&P 500 cai 0,42% para 2.644,83 pontos.

No Dow Jones a liderar as subidas estão as ações da Apple que ganham 4,03%, já a liderar as quedas está a General Electric que perde 0,80%.

No curto prazo, um dos dados que podem condicionar o curso do mercados de ações norte-americano é o indicador da inflação do mês de janeiro nos Estados Unidos. Para os especialistas, se os preços aumentarem mais do que o esperado, isso “poderá levar a novas quedas de alguma magnitude nas ações (e também no mercado de renda fixa, com o consequente aumento das taxas de rendibilidade – yields).

Os dados sobre a inflação serão publicados nesta quarta-feira e o consenso espera que o IPC de janeiro aumente 0,3% e que a taxa de inflação homóloga baixe para 1,9% em relação aos 2,1% anteriores. O consenso prevê também que a inflação subjacente, sem alimentos ou energia, irá diminuir 0,2%; e que a taxa interanual cairá para 1,7%.

Estes dados são muito relevantes por vários motivos. Em dezembro, a inflação subjacente recuperou um décimo mais do que o esperado e foi o primeiro sinal de pressões inflacionistas recebido pelos investidores norte-americanos desde há um longo período de tempo a esta parte. Posteriormente, o Relatório de Emprego de janeiro mostrou o maior aumento nos salários desde 2009, que acabou por pôr os operadores nervosos e desencadeou a primeira correção de mais de 5% em Wall Street na semana passada, desde junho de 2016.

 




Mais notícias
PUB
PUB
PUB