Volkswagen comprou ou reparou mais de metade dos carros no escândalo Dieselgate nos EUA

Numa carta enviada ao juiz encarregue do processo, a VW afirma ter já comprado ou reparado mais de metade dos modelos 2.0 envolvidos no escândalo Dieselgate.

A Reuters dá conta de que a Volkswagen terá já comprado ou reparado mais de metade dos 475 mil veículos com motor 2.0 envolvidos no escândalo Dieselgate, meros seis meses após o lançamento desta operação ordenada pelos tribunais dos EUA.

A agência revela que a informação foi veiculada pela VW ao juiz encarregue da supervisão do processo de acordo feito entre o construtor e o governo dos EUA, através de uma carta em que é registada a compra de 238 mil unidades e a reparação de mais 6200. Recorde-se que o acordo firmado entre as partes implica a recompra e/ou reparação de pelo menos 85% dos modelos envolvidos no escândalo até 2019, sob pena de a VW incorrer em multas adicionais.

Foi no passado mês de março que o construtor alemão se declarou culpado de fraude, obstrução à justiça e falsificação de testemunhos como parte de um acordo de quatro mil milhões de euros com o Departamento de Justiça norte-americano, onde constarão os três anos de pena suspensa, que serão decretados no próximo dia 21 por um tribunal federal de Detroit. No total, a VW acordou em gastar até 23,5 mil milhões de euros nos EUA para dar conta de reclamações feitas pelos donos dos modelos envolvidos, mas também por parte dos reguladores ambientais, estados e concessionários, além de financiar a compra de cerca de 500 mil veículos afetados neste país.

No entanto, para a Europa, o cenário não é idêntico, e o construtor está envolto em polémica acerca das reclamações dos lesados e mesmo dos procedimentos utilizados na reparação dos modelos afetados.





Mais notícias