Vencedoras do Festival da Canção prometem “dar luta” na Eurovisão

Em declarações aos jornalistas, no final do evento, que se realizou no pavilhão multiusos em Guimarães, Isaura, que compôs "O Jardim", e Claudia Pascoal, que interpretou, confessaram-se cansadas mas "muito felizes".

epa06580626 Contestant, Claudia Pascoal (C, front), celebrates after winning the Song Festival 2018 with the song 'O jardim', in Guimaraes, Portugal, 04 March 2018. Claudia Pascoal will participate in the Eurovision Song Contest 2018 which will be hosted by Portugal will in May. EPA/JOSE COELHO

As vencedoras do Festival da Canção 2018 prometeram “dar luta” na final da Eurovisão, em maio, na Altice Arena, e confessaram que o sentimento depois da vitória de domingo é de “missão cumprida”.

Em declarações aos jornalistas, no final do evento, que se realizou no pavilhão multiusos em Guimarães, Isaura, que compôs “O Jardim”, e Claudia Pascoal, que interpretou, confessaram-se cansadas mas “muito felizes”.

“Estou cansada mas vou mesmo feliz, com o sentido de missão cumprida porque, de facto, esforçamo-nos muito e quisemos dar o nosso melhor”, afirmou Isaura.

Para a compositora, que recusou a avaliação de que a música que levou ao palco está fora do seu estilo, o que mais a entusiasmou, admitiu, foi a oportunidade de escrever em português.

“Eu sinto que esta canção é muito o meu registo. A única diferença é que tem uma guitarra acústica – e, se calhar, no meu trabalho, teria colocado uma guitarra elétrica… – e tem palavras em português, e isso foi o que eu mais gostei, nesta oportunidade do Festival da Canção”, disse.

“Assim que recebi o convite, quis logo aceitá-lo. Se há coisa de que eu gosto é de escrever em português. Neste momento estou a trabalhar outra sonoridade, e foi uma oportunidade belíssima. Pensei que seria a minha primeira canção em português e que queria que fosse muito bonita”, explanou.

Questionada sobre o que a atraiu na composição de Isaura, a intérprete Claudia Pascoal explicou que foi a quase dor que “O Jardim” lhe transmitiu: “Mal ouvi a música, emocionei-me, porque é quase dolorosa, fala de saudade mas também é reconfortante”, explicou.

Para a final da Eurovisão, que será em Lisboa, no dia 12 de maio, as duas vencedoras do Festival da Canção deixam uma promessa: “Vamos dar luta”, garantiram.

“Eu não quero falhar a ninguém, a ninguém que votou, que gosta da canção e que acredita que podemos representar Portugal”, reforçou Isaura.

Quanto ao futuro, a compositora admitiu que “a aventura” do Festival da Canção poderá atrasar o álbum em que está a trabalhar.

“Estou um bocadinho atrasada no meu álbum, que ia lançar em abril Se calhar vai ter de demorar mais uns diazinhos, mas não quero que atrase muito mais do que isso”, referiu.

Já Claudia Pascoal espera que o Festival da Canção e a Eurovisão sejam um ponto de viragem na carreira.

“Queria lançar este ano um trabalho, espero que isto abra portas”, disse.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB