Vale a pena fazer um MBA?

O retorno do investimento mede-se no aumento salarial e nas oportunidades de mudança profissional. Mede-se também nos conhecimentos técnicos, no networking e no desenvolvimento de soft skills, fundamentais para quem almeja a liderança.

A ambição de aumentar o rendimento salarial e de progredir na carreira é uma forte motivação para fazer um MBA. Com resultados visíveis. Basta olhar para os dados quantitativos, de compensação salarial ou empregabilidade.

Esta via, seguida por muitos quadros médios, superiores e gestores de topo, não é, naturalmente, a única razão. “Um MBA pode possibilitar uma mudança de setor de atividade ou funcionar como uma oportunidade para mudar de país. Pode, também dar resposta a todos os que sentem vontade de sair da zona de conforto e de descobrir novas práticas de gestão adaptadas à instabilidade dos tempos modernos”, explica ao Jornal Económico, Anabela Possidónio, diretora executiva do the Lisbon MBA, o mais internacional programa português. Na mesma linha de análise Ana Côrte-Real, associate dean da Católica Porto Business School, diz-nos que as três motivações para a realização de um MBAS são: aumentar as oportunidades de emprego, desenvolver o conhecimento na área da gestão e aumentar o salário potencial.

Rita Marques, executive diretor dos MBSs da Porto Business School, corrobora, explicitando algumas das portas que acabam por ser abertas com a realização do curso: “As motivações para se frequentar um programa de MBA são muitas e diversificadas embora se possa admitir que há uma razão primeira, comum a todas as candidaturas, que se resume à vontade de encontrar no mundo de hoje, que é cada vez mais dinâmico e incerto, uma posição que seja conducente a maiores ganhos. De conhecimento. De oportunidade. De relações. De perspetivas. De abordagens, para construir novas e melhores opções.”

O Master of Business Administration, no original em inglês, ou MBA, sigla como é conhecido pode ter a duração de um ano ou de dois anos, pode ser feito em regime de part time ou em regime de de full time. No fundo, como o define Adrián Caldart, director do Comité executivo MBA AESE, trata-se de “um grande ginásio para exercitar a tomada de decisões diretivas, integrando a teoria e prática, através de metodologías distintas”

Um “ginásio” que permite muitos ganhos. Neste grupo, Miguel Varela, director do ISG – Business School, destaca os “conhecimentos técnicos e científicos, estudos de casos, práticas em empresas e a partilha de experiências e network entre colegas”. Alguns deles são até indispensáveis  para quem almeja chegar à liderança, como vinca Anabela Possidónio: “Os alunos do MBA desenvolvem uma capacidade de trabalho e resiliencia, fundamental para sobreviver nos dias de hoje. Criatividade, capacidade de liderança, comunicação em situações de conflito e auto-conhecimento são algumas das competências bem trabalhadas nos MBA que têm efeito imediato no desempenho, profissional, com retorno garantido para o negócio.”
Vale a pena fazer um MBA?!… Se dúvidas restassem, Jorge Gomes, diretor do MBA ISEG, dá-nos um bom ponto de conclusão: “As pessoas fazem uma ou duas licenciaturas, podem fazer três ou quatro pós-graduações, às vezes até fazem dois ou três mestrados –  tenho um colega que fez três doutoramentos -, mas MBA, só se faz um na vida!“.

Um MBAsão muitas horas, é um investimento muito grande, em muitas casos, obriga a alterar rotinas de vida. Entra-se num mundo novo do qual se sai transformado.



Mais notícias
PUB
PUB
PUB