Unicâmbio com 1,1 milhões de euros de resultados líquidos em 2016

A empresa vocacionada para câmbios e transferências quase duplicou os resultados face a 2015. O aumento do turismo ajudou à facturação. A Unicâmbio faz este ano 25 anos e avança para a internacionalização.

A empresa liderada por Carlos Lalaia e Paulo Jerónimo acaba de anunciar que em 2016 teve lucros de 1,1 milhões de euros, o que compara com 600 mil euros de lucros em 2015.

Os gestores anunciaram que só distribuíram 200 mil euros em dividendos e por isso o resto foi para reservas e para financiar a expansão da empresa vocacionada para câmbios e transferências de moeda.

Em termos de volume de negócio a Unicâmbio superou os 12 milhões de euros, uma subida de cerca de 15% face ao ano anterior.

A empresa tem já 220 colaboradores e abriu 20 a 30 balcões nos últimos dois anos, estando hoje com 75 balcões em todo o país. Mas esperam chegar até ao fim do ano com 80 lojas (até ao fim deste mês abrem no Fórum Sintra e depois em Santarém).

Durante o encontro com jornalistas a Administração da Unicâmbio  anunciou a introdução de cinco novas moedas no portefólio da Unicâmbio, oriundas de países exóticos (Peso da Colômbia, Peso da Argentina, Peso do Chile, Dólar da Namíbia e o Riel do Camboja).

A Unicâmbio também anunciou as novas tendências sobre a origem dos visitantes a Portugal em lazer e negócios, com base na procura de novas divisas por exemplo da Tailândia, que se deve ao facto de a Emirate Airlines ter começado a operar em Portugal.

A empresa destacou ainda o aumento de troca de moedas na loja Unicâmbio de Fátima nas celebrações dos 100 anos das aparições e durante a visita do Papa Francisco. “Mais de 30 nacionalidades diferentes trocaram moeda nos dias 11 a 15 de maio e houve um grande fluxo de trocas nesses dias”.

A Unicâmbio, que este ano faz 25 anos, diz que acaba de alargar o seu portefólio de moedas estrangeiras utilizadas no seu serviço de câmbios ao introduzir cinco as novas divisas – Peso da Colômbia, Peso da Argentina, Peso do Chile, Dólar da Namíbia e Riel Cambojano.

“Com este lançamento são já mais de 50 as moedas estrangeiras possíveis de transacionar na rede de 75 balcões que a Unicâmbio disponibiliza nas Áreas da Grande Lisboa, Porto, Braga, Leiria, Algarve e na Região Autónoma da Madeira, reforçando o serviço numa altura de grande afluxo de visitantes a Portugal”, diz a empresa.

“Ao incorporar mais cinco moedas estrangeiras no seu portefólio a Unicâmbio reforça a posição de liderança no setor das agências de câmbios em Portugal, já que não se limita a disponibilizar a moeda estrangeira mais procurada mas também divisas oriundas de países exóticos e inesperados”, explica Carlos Lilaia, Administrador das Unicâmbio.

Em termos de internacionalização a Unicâmbio está em Luanda desde outubro de 2016 e está quase a abrir na Guiné-Bissau. Para 2018 têm objectivos de abrir em Cabo Verde e São Tomé.

Cartão Corporate a caminho

Depois de terem lançado o cartão Multidivisas pré-pago Cash 4 Travel com cinco moedas, a empresa tem já em fase de teste o cartão para empresas que vai criar poupanças nos fluxos de tesouraria das empresas. Isto é, um cartão recarregável que permite às empresas fornecer divisas aos seus colaboradores em todo o lado do mundo.  A Unicâmbio está a negociar parcerias com grandes empresas para distribuir este cartão que será lançado este ano.

Em relação ao cartão multidivisas Cash 4 Travel, que nasceu em 2014, já têm em circulação 10 mil cartões mas o objectivo é alargarem os canais de distribuição do cartão, através dos canais online e através de parcerias com empresas, por exemplo com agências de viagens. A empresa prevê ainda estender o leque de moedas do cartão.

“O Cash4Travel é um cartão multidivisas que pode ser simultaneamente carregado com 5 moedas: Euro, Libra Esterlina, Real Brasileiro, Dólar Americano, Franco Suíço e Euro. A Unicâmbio é a única agência em Portugal com este tipo de cartão, que permite carregar valores, sem limite de tempo e com absoluto controlo sobre o saldo”, dizem os gestores.

Portugal neste momento é um destino refúgio de turismo, por causa da segurança que oferece. Os gestores dizem que a estratégia da Unicâmbio para o segundo semestre de 2017 passa por apostas no setor do Turismo.