UE vai reavaliar ‘offshores’ britânicos durante as negociações comerciais do Brexit

O processo deve começar em breve e pode vir a ser usado pela União Europeia (UE) como uma vantagem para forçar concessões por parte de Londres.

A Comissão Europeia vai reavaliar, durante as negociações comerciais do Brexit, os paraísos fiscais do Reino Unido que deixaram a lista negra de offshores europeia. O processo deve começar em breve e pode vir a ser usado pela União Europeia (UE) como uma vantagem para forçar concessões por parte de Londres, avança o jornal britânico ‘The Independent’.

O processo de seleção deverá ter início “na primavera” e deve incluir territórios britânicos ultramarinos, remanescentes do Império Britânico, como Anguilla, Ilhas Virgens Britânicas e Ilhas Turcas e Caicos. No entanto, outros territórios como as Bermudas, Ilhas Cayman, Guernsey, Ilha de Man e Jersey podem também vir a ser novamente escrutinados.

A presidente da Comissão de Seleção do Tesouro, Nicky Morgan, lembra que os territórios ultramarinos britânicos são “jurisdições separadas com governos próprios, democraticamente eleitos, que decidem sobre os seus próprios assuntos fiscais”. No entanto, Nicky Morgan sublinha que, graças à liderança britânica, estes centros financeiros estão hoje “comprometidos com todos os padrões globais de transparência fiscal”.

A atual lista da UE sobre territórios pouco transparentes no que toca a assuntos fiscais é composta 17 estados ou cidades. São eles a Samoa Americana, Bahrain, Macau, Ilhas Marshall, Barbados, Granada, Guam, Coreia do Sul, Mongólia, Namíbia, Palau, Panamá, Santa Lúcia, Samoa, Trinidad e Tobago, Tunísia e os Emirados Árabes Unidos.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB