Turquia pede ao Irão que evite a violência e ao mundo que não intervenha

A Turquia apelou hoje às autoridades iranianas para que evitem a provocação e a violência e pediu ao resto do mundo que não intervenha na crise criada nos últimos dias pelos protestos de rua no país vizinho.

Kayhan Ozer/Palácio Presidencial Turco/Reuters

“Acreditamos que o Presidente [iraniano, Hasan] Rohani deve evitar a violência e as provocações. Deve ter em conta que as pessoas têm direito a manifestar-se pacificamente”, diz em comunicado o Ministério turco dos Negócios Estrangeiros.

O Ministério reconhece, no entanto, que “a lei não pode ser violada e a propriedade pública não deve ser prejudicada”.

“Desejamos que se garanta a paz no país e que prevaleça o senso comum para prevenir a escalada de acontecimentos, e que se evite a retórica provocadora e as intervenções externas”, acrescenta.

Com este comunicado, o Governo da Turquia reage à tensão que se vive no vizinho Irão, onde protestos de rua resultaram em 20 mortos desde 28 de dezembro.

Os protestos começaram na quinta-feira passada na cidade de Mashhad, inicialmente contra a subida dos preços dos alimentos e a corrupção.  As manifestações alastraram, entretanto, várias cidades do país, com palavras de ordem contra o Governo e o líder supremo, ‘ayatolah’ Ali Khamenei. Trata-se da maior onda de manifestações contra o Governo de Teerão desde 2009.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB