Turismo: Hotelaria recebe mais portugueses e menos estrangeiros em julho

O mercado interno retomou o crescimento das dormidas (3,0% face a -0,4% no mês anterior), enquanto os mercados externos desaceleraram (5,4% face a 10,2% em junho).

O INE acaba de revelar os principais números da atividade turística em Portugal no passado mês de julho. Neste período, a hotelaria registou 2,2 milhões de hóspedes e 6,9 milhões de dormidas em julho de 2017, correspondendo a variações de 6,1% e 4,7% (9,1% e 7,2% em junho, respetivamente). Os proveitos totais desaceleraram para um crescimento de 13,1% (17,2% em junho), tendo atingido 428,7 milhões de euros. Os proveitos de aposento atingiram 327,3 milhões de euros e também desaceleraram, crescendo 15,2% (19,2% em junho).

Todas as regiões apresentaram aumentos nos proveitos, com maior evidência na RA Açores (27,4% nos proveitos totais e 25,3% nos de aposento) e no Alentejo (21,5% e 22,1%, respetivamente).

O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) foi 73,7 euros, que se traduziu num aumento de 13,3% em julho (+16,8% em junho). No Algarve e na AM Lisboa o RevPAR ascendeu a 101,8 euros e 85,7 euros, respetivamente. Destacaram-se os crescimentos no Alentejo (21,0%), RA Açores (18,8%) e Centro (17,9%).

A evolução do RevPAR foi globalmente positiva entre as diversas tipologias, destacando-se os hotéis-apartamentos (+15,5%) e os aldeamentos turísticos (+16,2%).

Nesta análise evidencia-se ainda o facto de o mercado interno ter contribuído com 2,0 milhões de dormidas, que representaram um crescimento de 3,0% (-0,4% em junho), enquanto os mercados externos desaceleraram para um crescimento 5,4% (10,2% no mês anterior), atingindo 4,9 milhões de dormidas. No período de janeiro a julho as dormidas de residentes aumentaram 4,2% e as de não residentes 10,2%.

Já a estada média (3,11 noites) decresceu 1,4%. E a taxa de ocupação-cama (67,3%) aumentou 1,3 p.p.

 

Brasil e EUA em destaque

Segundo o INE, os treze principais mercados emissores representaram 84,9% das dormidas de não residentes e apresentaram resultados heterogéneos.

O mercado britânico (23,3% das dormidas de não residentes) estabilizou em julho (-0,1%). Nos primeiros sete meses do ano este mercado cresceu 4,3%. O mercado espanhol foi o segundo maior mercado em julho (11,0% do total), apesar de ter recuado 6,2% neste mês. No período de janeiro a julho este mercado cresceu 2,5%.

As dormidas de hóspedes alemães (10,5% do total) registaram aumentos de 8,3% em julho e 9,4% no período acumulado. O mercado francês (8,4% do total) recuou pelo terceiro mês consecutivo (-5,9% em julho) mas apresentou um crescimento de 1,7% nos primeiros sete meses do ano.

Entre os principais países, destacaram-se os crescimentos dos mercados brasileiro (46,2%), americano (27,8%) e italiano (18,3%). No período de janeiro a julho sobressaíram as evoluções nos mercados brasileiro (53,6%), americano (30,0%) e polaco (27,6%).

 



Mais notícias