Turismo em Santo Antão cresceu 24%. E há mais investimentos no sector prestes a chegar

Mais de 26 mil turistas visitaram Santo Antão em 2017, o que significa um aumento de 23,8% em relação a 2016. Os operadores acreditam que, a avaliar pela “grande movimentação” de turistas que se tem verificado, nesta época alta, iniciada em Outubro, o turismo vai continuar a crescer nesta ilha.

A um mês do fecho da época alta do turismo, a ilha de Santo Antão continua sendo muito visitada por turistas provenientes, sobretudo, do Norte da Europa, que procuram a ilha, sobretudo, entre os meses de Outubro e Maio para a prática de ‘trekking’ (caminhadas em trilhas em busca da natureza), o principal produto turístico que esta região oferece, até agora.

Grupos de turistas continuam a chegar, com frequência à ilha, facto que leva os agentes turísticos a considerarem “muita positiva” a época alta do turismo em Santo Anto Antão, que está a assumir uma posição de destaque a nível do turismo rural e de natureza.

Um estudo sobre o turismo rural em Santo Antão,  constatou que “a procura turística” está, realmente, a crescer em Santo Antão, apesar da oferta precisar ainda ser melhor preparada diversificada. Segundo dados avançados pela Inforpress, mais de 26 mil turistas visitaram Santo Antão em 2017, o que significa um aumento de 23,8% em relação a 2016.

O estudo, realizado pela THC – Tourism & Hospitality Consulting, Lda, no quadro da cooperação luxemburguesa, que visava a definição de um modelo de intervenção no turismo rural e comunitário em Santo Antão, revela ainda que a oferta continua “desorganizada e despreparada”.

O ‘trekking’ é, para já, o principal produto turístico de Sano Antão, mas começa-se a desenvolver outras componentes desta oferta, como a escalada e o canyoning na montanha.

A grande maioria dos turistas que chega a Santo Antão é procedente da França, tendo 11 mil franceses visitado esta ilha em 2017.

Investimentos crescem no Porto Novo

Os projectos privados em carteira para Porto Novo, Santo Antão, já a partir deste ano, podem chegar aos três milhões de contos, estando já confirmados quase 90% desses investimentos que abarcam, sobretudo, o turismo, a agricultura e as energias renováveis.

O investimento de maior envergadura, já com o aval do Governo, pertence ao grupo inglês Brine Engineering Solution, e consiste na instalação de um parque solar de 2,5 megawatts e uma unidade de dessalinização para a produção de 3.500 metros cúbicos de água/dia para a agricultura e pecuária, num projecto a rondar os 2,5 milhões de contos.

Este grupo de investidores vai ainda instalar no Porto Novo um centro de hidroponia para a produção de morangos e transformar o Centro Pós-Colheita num centro agro-industrial, com capacidade para a transformação, certificação e comercialização dos excedentes.

Os investimentos, já financiados no quadro do programa AquaSun, estarão concluídos até meados de 2019, com a produção agrícola em grande escala (1.400 toneladas/ano) para os mercados turísticos nacionais, segundo um representante da Brine Engineering Solution.

Outros projectos já garantidos para 2018 para a cidade do Porto Novo e Tarrafal de Monte Trigo incidem no sector do turismo, que devem rondar os 150 mil contos, conforme a apurou a Inforpress junto da edilidade.

Para Tarrafal de Monte Trigo, uma das principais zonas turísticas de Santo Antão, está confirmado um pacote de investimentos privados de quase 130 mil contos, que consiste na construção de uma unidade hoteleira e um centro de promoção de actividades ao ar livre (desportos náutico, ‘trekking’ e outras).

No sector alimentar, Porto Novo poderá receber um projecto que tem a ver com a instalação de uma unidade de silos para armazenamento e comercialização de cereais, a cargo da Ilha Verde, o qual está a ser discutido, já há algum tempo, entre o município e esta empresa cabo-verdiana.

Tarrafal de Monte Trigo, considerado, para muitos, o “oásis do turismo” em Santo Antão, está também a ser alvo de cobiça de um investidor belga, que já prometeu viajar para Santo Antão para negociar com os responsáveis municipais.

Igualmente, a Oásis Atlântico está a ponderar a possibilidade de investir nos sectores turístico e imobiliário no município do Porto Novo, a avaliar pelo interesse demonstrado numa recente visita de uma delegação desse grupo económico português a Santo Antão, que serviu para se identificar oportunidades de investimentos.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB