Trump: “Temos que humilhar o inimigo. Somos uma nação forte e estamos a ser ridicularizados”

O presidente norte-americano, que antes de ingressar na vida política nunca tinha trabalhado com matérias de relações internacionais, faz um balanço muito positivo em relação às medidas adotadas para dar resposta aos conflitos que abalam a segurança internacional nos dias de hoje.

REUTERS/Jim Bourg

Depois de nos últimos tempos se ter assistido a uma série de demonstrações de força por parte dos Estados Unidos, o presidente norte-americano, Donald Trump, defende que o país têm de se manter como “uma nação grande e forte”. Numa entrevista, divulgada esta quarta-feira, à revista norte-americana Time, Donald Trump fala sobre as recentes investidas da Administração na política externa e explica: “Estávamos a ser ridicularizados pelo mundo, mas agora eles já não estão mais a rir”.

Primeiro foi a intervenção militar na Síria, depois o ataque no Afeganistão e mais recentemente a escalada de tensão com a Coreia do Norte. Há quase cinco meses na presidência, o presidente norte-americano, que antes de ingressar na vida política nunca tinha trabalhado com matérias de relações internacionais, faz um balanço muito positivo em relação às medidas adotadas para dar resposta aos conflitos que abalam a segurança internacional nos dias de hoje.

“Sabem o que é interessante? Eu estou a obter muito boas marcas em política externa e a maioria das pessoas não pensaria em mim dessa maneira”, afirma Donald Trump. “Estou a receber A e A+ [nas avaliações dos críticos] sobre a política externa desta administração. E nunca ninguém pensou nisso”.

Em entrevista, o republicano deixa ainda claro que o combate ao autoproclamado Estado Islâmico continua a ser uma das prioridades da Administração.

“Temos de humilhar o inimigo. Se não o fizermos, vamos continuar a ter pessoas a querem ir lutar para o autoproclamado Estado Islâmico. Temos crianças a deixar este país para ir combater para a Síria, porque eles são realmente bons na internet, melhores do que o Google”, argumenta Donald Trump, considerando o grupo terrorista um “inimigo inteligente”.

Sobre a responsabilidade de ser presidente de uma das maiores potências mundiais, Donald Trump, que durante a comemoração dos seus 100 dias de mandato na Casa Branca admitiu que pensava que o trabalho com chefe de Estado era “mais fácil” e já tinha saudades da sua vida como empresário, diz agora que a presidência dos Estados Unidos é um trabalho “muito natural”. “Acho que é um trabalho de grande responsabilidade, obviamente. Não há nenhum trabalho como este. E acho que é algo que funciona de forma muito natural para mim”, afirma.

 



Mais notícias
PUB
PUB
PUB