Trump assegura que os EUA vão agir contra Pyongyang, com ou sem a China

A administração Trump acredita que "há uma possibilidade real de a Coreia do Norte ser capaz de atingir os Estados Unidos com recurso a armas nucleares"

Kevin Lamarque/REUTERS

O presidente norte-americano, Donald Trump, garante que os Estados Unidos estão prontos para fazer pressão contra a ameaça nuclear da Coreia do Norte, com ou sem a ajuda da China, vista como um importante aliado diplomático e económico do regime de Pyongyang. O combate ao programa nuclear norte-coreano será um dos temas a discutir durante o encontro desta semana de Donald Trump com o presidente chinês, Xi Jinping.

Em entrevista ao jornal britânico ‘Financial Times’, Donald Trump considera que a Coreia do Norte e o desenvolvimento do seu programa nuclear e de mísseis de longo alcance, são a amaeaça mais premente à segurança dos Estados Unidos.

A administração Trump acredita que “há uma possibilidade real de a Coreia do Norte ser capaz de atingir os Estados Unidos [como o regime de Pyongyang ameaçado] com recurso a armas nucleares ainda antes da comemoração do primeiro ano de mandato de Donald Trump”.

Face a isso, Donald Trump garante que no topo da agenda da Casa Branca está o combate à ameaça do regime norte-coreano de Kim Jong-un e assegura que se a China não tomar posição, os Estados Unidos avançaram com medidas unilaterais.

“A China tem uma grande influência sobre a Coreia do Norte. E a China é que vai decidir se nos ajuda com a Coreia do Norte ou não”, explica Donald Trump. “Se fizer isso, será muito bom para a China, se não o fizer, não será bom para ninguém”.

Embora sem avançar com medidas concretas, alegando que a nova administração não fará como “os Estados Unidos de antes que anunciavam onde iam atacar no Médio Oriente”, Donald Trump garante que a China é também um dos principais interessados em combater o programa nuclear da Coreia do Norte e invoca as trocas comerciais com a China como incentivo para Pequim seguir as orientações de Washington.

O encontro entre Donald Trump e Xi Jinping está marcado para esta sexta-feira, dia 7.

Mais notícias