Trabalhadores da Autoeuropa admitem nova greve no próximo ano

Em causa está a contestação face à imposição de um novo horário de trabalho pela administração da empresa, que prevê 17 turnos mensais, com o trabalho pago a dobrar aos sábados.

A comissão de trabalhadores da Autoeuropa está a ponderar uma nova paralisação de dois dias, entre o final de janeiro e o início de fevereiro. Em causa está a contestação face à imposição de um novo horário de trabalho pela administração da empresa, que prevê 17 turnos mensais, com o trabalho pago a dobrar aos sábados, avança o jornal ‘Diário de Notícias’.

A proposta de greve foi apresentada esta quarta-feira por um grupo de trabalhadores da fábrica de Palmela, em plenário. Os trabalhadores contestam a decisão unilateral da empresa de passar a laborar todos os sábados a partir do final do próximo mês. O ‘Diário de Notícias’ indica que a moção que propôs a greve de dois dias terá sido chumbada no primeiro plenário, mas aprovada no segundo.

A confirmar-se este cenário, a Autoeuropa enfrentará a segunda paragem em menos de cinco meses. A primeira greve aconteceu depois de ter sido chumbado o primeiro pré-acordo entre a comissão de trabalhadores e a administração.





Mais notícias