Tiroteio em Paris: Segundo suspeito entrega-se às autoridades

O ataque foi entretanto reivindicado pelo autoproclamado Estado Islâmico.

Christian Hartmann / Reuters

O homem que as autoridades acreditavam poder estar envolvido no tiroteio desta quinta-feira nos Campos Elísios, em França, entregou-se às autoridades esta manhã, em Antuérpia, no norte da Bélgica. Três familiares do atirador, abatido pelas autoridades durante o atentado, foram detidos para interrogatório.

O tiroteio, que fez dois mortos (um polícia e o atacante) e três feridos, foi entretanto reivindicado pelo autoproclamado Estado Islâmico, que indica que o atentado foi levado a cabo por Abu Yousif, conhecido por “O Belga”. Já o atacante, segundo fonte policial, era um cidadão francês, de 39 anos, que já estava referenciado pelas autoridades.

O ataque numa das mais movimentadas avenidas de França ocorre a três dias da primeira volta das presidenciais, marcadas para este domingo, dia 23. Acredita-se que o incidente venha baralhar ainda mais os resultados eleitorais, tem em conta a ligeira margem de diferença que separa o candidato centrista Emmanuel Macron e a líder de extrema-direita, Marine Le Pen. Logo atrás nas sondagens aparecem o comunista Jean-Luc Mélenchon e o conservador François Fillon, prevendo os analistas o fenómeno “inédito” de ter quatro candidatos com possibilidade de disputar a segunda volta, a 7 de maio.

O primeiro-ministro francês, Bernard Cazeneuve, já anunciou um reforço da segurança nas ruas e é esperada a presença efetiva de 50 mil polícias e militares junto das assembleias de voto para assegurarem que a eleição decorre com “normalidade” no próximo domingo.

PUB
PUB
PUB