Tiago Marques quer ficar na CGD, Pedro Leitão sai

Administradores da equipa de António Domingues já responderam a convites de Macedo para outros cargos.

CGD

Os dois administradores da equipa de António Domingues, que bateram o pé até ao fim e não apresentaram a demissão após a renúncia do anterior presidente da Caixa Geral de Depósitos (CGD), já deram resposta o convite de Paulo Macedo para permanecerem em participadas do banco público. Tiago Ravara Marques manifestou interesse em integrar o grupo Caixa e Pedro Leitão recusou, revelou ao Jornal Económico fonte próxima ao processo.

A mesma fonte dá conta que prosseguem as negociações sobre a nova remuneração e cargo a exercer por Tiago Marques, bem como sobre a indemnização a que Pedro Leitão terá direito. Um processo a cargo da comissão de remunerações e que ainda não está fechado. No caso de Tiago Marques, os lugares que estão em cima da mesa passam pelas equipas de gestão da CGD Pensões, Caixa Banco de Investimento, Caixa Gestão de Activos ou Caixagest.

Segundo a mesma fonte, nos termos do regulamento e estatutos da comissão de remunerações, é este órgão social da Caixa que estabelece as condições de remuneração e indemnização, sendo que o salário dos ex-administradores executivos de Domingues ascendia a 24 mil euros brutos mensais, ou 337 mil euros anuais. Caso Tiago Ravara aceite o cargo proposto,  terá de abdicar do direito de reclamar qualquer compensação. Já Pedro Leitão poderá ver revista em baixa a indemnização de cerca de um milhão de euros  – valor máximo a que tem direito por ser destituído sem justa causa, que corresponde à totalidade de salários até final do mandato, 31 de dezembro de 2019. O montante desta indemnização poderá, no entanto, ser inferior àquele valor, considerando fatores como o “desempenho, indisponibilidade mediante retenção, diferimento e mecanismos de redução e de reversão”, de acordo com a política de remunerações do banco. Em caso extremo, a comissão de remunerações pode até recusar o pagamento de indemnizações.

Após ter tomado posse, Paulo Macedo confirmou, a 3 de fevereiro, a existência de convites para Pedro Leitão e Tiago Marques, destituídos da administração, para ficarem dentro do grupo Caixa . “O que vamos fazer é uma proposta. Depois, as pessoas decidirão”, adiantou aos jornalistas o novo presidente da Caixa após uma visita à agência bancária da instituição financeira nas Amoreiras, em Lisboa. “O que compete fazer à Caixa é tentar aproveitar as pessoas que eram competentes para estar na administração e que poderão ser competentes para prestar serviço e trazer valor acrescentado noutras áreas”, disse Paulo Macedo. “Se for também o desejo dessas pessoas, haverá colaboração; se não for, o conselho de administração não tem nada que ver com isso”, acrescentou o ex-governante.

Tiago Ravara Marques, que fez a sua carreira no BPI, e Pedro Leitão, ex-administrador da PT, não apresentaram a demissão, ao contrário dos restantes administradores executivos da Caixa, após a renúncia apresentada, em novembro, por António Domingues ao cargo de presidente do conselho de administração, devido à polémica da entrega de declarações de rendimento ao Tribunal Constitucional .

  • oleg

    Os assuntos mais urgentes na CGD afinal eram apenas a repartição dos tachos.

    • Atento II

      Claro; a restante “urgência” era apenas em enxovalhar o anterior governo, como a urgência em entregar o Banif ao Santander.

      • oleg

        A CGD pode ser vendida já, esperar pelas cenas dos próximos capítulos só lhe vai tirar valor. O regime não tem interesse em manter um banco falido quando nem poderá continuar a extrair-lhe mais financiamentos sem garantias. Mas também não pode deixar que se revelem todas as falcatruas e cambalachos em que estão comprometidos partidos políticos e figurões do próprio regime.

        • Atento II

          Eu preferiria que a CGD continuasse pública, mas gerida como um banco privado, e devidamente supervisionada (não pelos bananas que temos tido no BdP).
          Também julgo que os lucros – pelo menos uma boa parte deles – deveriam ficar consignados a amortizar dívida pública, sem a aumentar por outro lado, obviamente.
          Também sou a favor de que “se revelem todas as falcatruas e cambalachos em que estão comprometidos partidos políticos e figurões do próprio regime”, pois só dessa forma poderemos dar um passo em frente no caminho da transparência de processos e da gestão do erário público.
          Só não entendo por que razão os arautos da transparência e da liberdade obstaculizam esse trabalho!!!

          • oleg

            Só pode ser por terem o rabo preso nos cambalachos. E querem que a CGD continue estatal para lhe poderem continuar a dar ordens e a escolher os gestores e empregar as clientelas. Ou seja para perpetuarem os cambalachos. Infelizmente esta é a realidade da abrilona e do seu regime.

          • Atento II

            Também percepciono as coisas de igual forma.

  • Jose Savior

    o responsável por esta situação é que deveria pagar as indemnizações e não a CGD de todos nós

    • Rui Azevedo

      O responsável por esta situação é o governo, logo quem vai pagar somos todos nós.

      • Jose Savior

        Será q está certo isso ? Fazer mal sem consequências pessoais ?

      • JJ

        Qual governo?

  • Arroz

    Afinal o que interessava era recapitalizar os bolsos dos administradores

  • carlos

    O povo, os contribuintes e clientes pagam todos esses alarves da máfia politiquiero-tachista! “salários dos mais altos do mundo para um gestores mediocres e incompetentes que nada fazem, são tão competentes que levam a banca à falência danosa e criminosa! Por que razão não há um CONCURSO PÚBLICO, como é norma?! É a máfia politiqueira a mhamar à grande na grande phorca da politica, impunemente!

  • Nuno Flores

    Vindo da PT, o que é que se pode esperar?
    Que paguem os responsáveis por esta brincadeira, autoria do governo sem contributo da oposição ou do presidente.

  • Voto contra

    A CGD vai mesmo falir, A nova administração fez algo de muito grave tomou posse e diz que não usou SMS,
    Não usou, não se sabe. Marques Mendes tem dúvidas e anda a investigar, O que já é do conhecimento é que Lobo Xavier não os tem porque segundo dizem são incompatíveis com os do seu grande amigo Domingos.

  • Revoltado

    Quando se da trabalho aos amigos e coniventes com os ladrões e se aumentam os salários para depois se alguém os deitar fora o povo ter que lhes pagar milhões….então isto é mais uma vez corrupção, bandidagem e terrorismo…se a justiça nada faz nestes casos então Portugal caminha muito rápido para cenas de muita violência….assim não..