Teresa Leal Coelho acusa Medina de responsabilidade na “descoordenação” da câmara de Lisboa

Candidata do PSD a Lisboa elege a habitação como prioridade e quer que a cidade recupere habitantes e que a câmara dê o exemplo.

ICTP

A candidata do PSD à Câmara Municipal de Lisboa (CML) criticou o atual presidente da autarquia, Fernando Medina, pela falta de coordenação que diz existir entre os diversos departamentos camarários.

Teresa Leal Coelho, que participou num almoço-debate do International Club of Portugal, salientou que a autarquia tem “excelente técnicos”, mas que falta coordenação.

“Não há coordenação entre os diversos serviços. Não comunicam entre si”, disse, atribuindo responsabilidades a Medina.

“Precisamos olear a máquina”, defendeu a candidata social-democrata, apontando, também, que as despesas com pessoal na autarquia aumentaram 14%, entre 2014 e 2017.

Na sua intervenção, Teresa Leal Coelho sinalizou as políticas de habitação como prioridade do programa que deverá ser apresentado ainda esta semana.

E foram precisamente as políticas de habitação que lançaram o mote para algumas das críticas que lançou ao adversário. Para a candidata social-democrata, o “repovoamento” de Lisboa é urgente, numa altura em que a cidade conta com 500 mil habitantes, tendo perdido cerca de 45 mil residentes entre 2009 e 2016, diz.

E atribuiu responsabilidades: “A Câmara de Lisboa dá um péssimo exemplo. É o maior proprietário de Lisboa, mas não dá uso ao património. Tem mais de 200 mil fogos vazios ou devolutos”, salientou.

“[A Câmara Municipal de Lisboa] étambém proprietária de 1.600 fracções de habitações municipais que estão devolutas ou vazias, em media, há mais de três anos. E a câmara deixa ao abandono este património que seria fundamental”, acrescentou.

 





Mais notícias
PUB
PUB
PUB