Supervisores financeiros e CCDR-N assinam protocolo para a formação financeira na região Norte

A cerimónia de assinatura do protocolo teve lugar hoje no Salão Árabe do Palácio da Bolsa, no Porto. Onze autarquias avançam com projeto-piloto.

O Conselho Nacional de Supervisores Financeiros e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) assinaram hoje um protocolo para a promoção da formação financeira no norte do País, avança o Banco de Portugal em comunicado.

O protocolo de cooperação entre os supervisores – Banco de Portugal, Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões e Comissão do Mercado de Valores Mobiliários – será implementado de forma gradual, com a colaboração das estruturas regionais.

Para apoiar estas iniciativas, os supervisores financeiros disponibilizarão materiais de informação e de formação financeira, diz a nota do BdP.

“O protocolo celebrado constitui a primeira iniciativa estratégica do Plano Nacional de Formação Financeira conduzida pelos supervisores com o apoio de autoridades regionais para aumentar a capilaridade das ações de informação e de formação financeira”, revela a instituição.

Segundo o Banco de Portugal que lidera o CNSF, a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa será a primeira comunidade intermunicipal da região Norte a iniciar um projeto-piloto no âmbito da parceria, através dos 11 municípios que a integram: Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Penafiel e Resende.

“As iniciativas incluídas neste primeiro projeto constam de um acordo de cooperação, que foi também hoje assinado pelo Conselho Nacional de Supervisores Financeiros, pela CCDR-N e pelas 11 autarquias da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa”, revela o regulador que acrescenta que o objetivo é chegar de forma mais eficaz às populações.

No âmbito deste protocolo serão realizadas diversas iniciativas de informação e de formação financeira, que serão implementadas através das autarquias da região Norte. As autarquias são parceiros fundamentais neste projeto para assegurar a capilaridade territorial das ações a desenvolver e identificar as mensagens e os canais mais adequados para chegar às populações.

Os supervisores vão organizar ações de formação para técnicos das autarquias locais, nomeadamente para técnicos que prestam informação e apoio aos cidadãos em organismos associados aos municípios. Após esta formação, as autarquias locais implementarão, com apoio dos supervisores financeiros, ações de informação e de formação financeira para a população. Serão também promovidas campanhas de sensibilização sobre temas financeiros nos órgãos de comunicação locais.

 

Mais notícias