Startup Fest regressa ao Porto e celebra o que de melhor se faz no setor empreendedor

Este é um evento que une grandes empresas, startups e os novos talentos criativos em volta do espirito inovador. Nesta segunda edição, o Startup Fest vai eleger também a "Startup do Ano", para a qual estão a concurso os projetos Hype Labs, Wisecrop e Facestore.

A cidade do Porto recebe este sábado (15) o Startup Fest’17, um evento organizado pelo Clube de Empreendedorismo da Universidade do Porto. Trata-se de um festival em frente à Reitoria da Universidade e apresenta-se como uma festa de celebração do espírito empreendedor da Invicta.

Na primeira edição, que se realizou no ano passado, estiveram no Startup Fest cerca de três mil pessoas. “Este ano esperamos chegar aos cinco mil visitantes”, conta o professor Carlos Melo Brito, Pró-Reitor da Universidade do Porto, ao Jornal Económico.

O evento é apresentado pela conhecida Filomena Cautela e tem duas áreas e uma programação constante. “No Startup Show juntam-se personalidades do ecossistema de inovação para analisar as tendências e impacto do empreendedorismo na competitividade da economia portuguesa. Em conversa estarão temas como os grandes sucessos das startups nacionais, a transferência de tecnologia para a criação de negócios, as principais tendências de inovação em Portugal e o papel da Universidade do Porto na promoção da cidade enquanto case study internacional ao nível do empreendedorismo”, explica.

Uma segunda área, é um “Marketplace onde está montada uma zona destinada à apresentação dos talentos mais criativos, das marcas mais disruptivas, das startups mais vibrantes e dos novos conceitos gastronómicos”.

O evento leva à praça pública “empreendedores, investigadores, empresários, investidores, professores, estudantes e, em geral, todos os que pretendem “respirar”o dinamismo e a irreverência que o empreendedorismo transporta consigo”, salienta Carlos Melo Brito.

Este ano, alguns dos convidados e oradores presentes são Ângelo Ramalho, CEO da Efacec, Maria Manuela Marques, administradora da Ibersol, Cláudio Fernandes, CEO da Adclick, Filipe Araújo da Câmara Municipal do Porto, Clara Gonçalves do UPTEC, Maria Oliveira da Universidade doPorto Inovação e Rafael Rocha da Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE). A eles juntam-se empreendedores responsáveis por projetos como Last2Ticket, Doctor Gummy, Infraspeak, Facestore, entre muitos outros.

O Pró-Reitor da Universidade do Porto diz que a dinâmica económica da cidade do Porto disparou nos últimos anos. “Na última década, e fruto da estratégia que temos vindo a prosseguir na Universidade do Porto, já demos origem a mais de 450 projetos empresariais, alguns dos quais são hoje referências mundiais como a Veniam, a Blip e a Uniplaces. Por outro lado, registámos mais de 400 patentes a nível internacional, metade das quais se encontra ativa. Numa altura em que a dinâmica das economias passa cada vez mais pelo surgimento de startups globais com níveis de faturação que atingem os milhões de euros, o retorno desta estratégia não poderia ser melhor”.

A segurança, o clima e serviços de qualidade são características que fazem do Porto um caso atrativo no mundo dos negócios. “É segura, tem um custo de vida relativamente barato, um bom clima e possui bons acessos internacionais assim como serviços de saúde e educativos de grande qualidade. Mas, acima de tudo, devo salientar a excelente qualificação dos recursos humanos que se assume, sem margem de dúvida, como um fator crítico de atratividade da cidade para a instalação de projetos empresariais de ponta”, aponta.

Nesta segunda edição, o Startup Fest vai eleger também a “ Startup do Ano”, para a qual estão a concurso os projetos Hype Labs, Wisecrop e Facestore.

 

PUB
PUB
PUB