Sonae Capital, NOS e Navigator são as ‘top picks’ do Caixa BI para 2018

O banco de investimento vê a Sonae Capital a beneficiar do 'boom' no turismo em Portgual, enquanto a telecom NOS vai começar a ter um dividendo atrativo e a Navigator a beneficiar de um ambiente positivo de preços da pasta e papel. Antevê ainda que o PSI 20 irá continuar a tendência de valorização registada em 2017.

Reuters

O Caixa Banco de Investimento (BI)  escolheu a Sonae Capital, a telecom NOS e a papeleira The Navigator Company como top picks no PSI 20 para 2018, um ano no qual os resultados por ação das cotadas portuguesas deverão crescer em média 12% e no qual o índice oferece um potencial de valorização de 5%, tendo em conta os fair value das empresas.

“Admitimos que há espaço para revisões em alta dos fair value para algumas empresas com base no resultados que irão apresentar nos próximos trimestres e que deverão ser refletidos pela melhoria nas perspetivas para o índice como um todo”, explicou o Caixa BI.

Adiantou que o outlook positivo para o PSI 20 “também está relacionado com a descida da percepção de risco de Portugal e dos ativos domésticos após a melhoria do rating da República por duas agências” . O banco de investimento prevê que a economia portuguesa cresça mais de 2% este ano, com as exportações a continuarem a suportar o desempenho.

Em relação ao títulos específicos, o Caixa BI explicou que a Sonae Capital, para a qual tem uma recomendação de ‘Buy’ e um preço alvo de 1,05 euros por ação (face à cotação atual de 0,923 euros), é uma empresa através da qual os investidores poderão capitalizar no boom de turismo em Portugal.

“Após ter vendido alguns dos ativos non-core, nomeadamente a participação na Norscut, a Sonae Capital é uma empresa mais orientada para o turismo (ao operar via o Tróia Resort e o segmento da hospitalidade), com exposição a um negócio em crescimento rápido (o segmento do fitness) e a investir num negócio mais estável como o da energia”, explicou. A empresa ainda detém uma fonte alargada de ativos imobiliários vendáveis que não são fáceis de monetizar devido ao tamanho e localização, adiantou.

“Embora reconheçamos que a história da Sonae Capital não seja fácil de seguir devido às alterações em curso no portefólio de negócios, acreditamos que a empresa pode tirar vantagem do boom do turismo, dos Golden Visa e da popularidade única que o país vive na comunidade de viajantes”.

Sobre a NOS, o Caixa BI referiu que prevê a telecom a aumentar as receitas e o EBITDA em termos de crescimento médio anual composto em 2,5% e 3,6%, respetivamente, entre 2016 e 2020. Alerta que, embora a empresa deverá continuar a aumentar as receitas, as margens EBITDA deverão permanecer pressionadas por custos mais elevados em todas as frentes e pelos descontos e promoções que terá de apresentar para defender a quota de mercado de concorrentes “potencialmente agressivos”.

“Assumindo que o Capex irá desacelerar no médio prazo,  a política de dividendos irá tornar-se no principal atrativo da NOS, a beneficiar ainda de uma melhoria significativa na geração de fluxo de tesouraria”, sublinhou, o banco, que tem uma recomendação de compra e um preço alvo de 6,50 euros para o título, o que compara com a cotação atual de 5,58 euros.

A Navigator, por sua vez, apresenta um caso de investimento muito simples, frisou o Caixa BI: “um balanço robusto, níveis elevados de eficiência operacional, forte geração de free cash flow e a disponibilidade da gestão e do principal acionista para manter um dividendo generoso”.

Em 2017, os preços da pasta de papel aumentaram 5o% em dólares e 33 em euros, enquanto os preços do papel UWF recuperar de um mínimo de cinco anos tocado em março e estão a beneficiar de condições positivas no mercado para manter a subida, recordou.

Na pasta de papel, não há projetos novos previstos para os próximos anos, portanto “desde que a procura se mantenha robusta, nomeadamente da China, vemos potencial para os preços se manterem suportados durante a primeira metade do ano, corrigirem ligeiramente na segunda metas e subirem de novo em 201-2010 para tirar vantagem da diferença entre a oferta e a procura”.

A Navigator permanece uma proposta interessante em termos de distribuição de dividendos futuros (com uma yield de cerca de 5,5% no próximo pagamento ordinário) , com níveis limitados de Capex e um ambiente geralmente positivo nos mercados da pasta e do papel, concluiu. O Caixa BI tem um recomendação de Buy para o título, com um fair value de 4,90 euros, face à cotação atual de 4,47 euros.





Mais notícias