São Petersburgo: Desativada bomba em apartamento de amigos de suspeito de atentado

Três dias após o atentado no metro de São Petersburgo, que provocou a morte de 14 pessoas, foi desativada uma nova bomba encontrada num apartamento.

Eduardo Munoz/Reuters

Esta quinta-feira, três dias após o atentado na Rússia, foi desativado mais um artefacto explosivo dentro de um apartamento em São Petersburgo. É estimado que os suspeitos cúmplices do “terrorista suicida”, que provocou a morte de 14 pessoas no metro da cidade, estivessem hospedados nesse apartamento.

Os bombeiros foram chamados ao local e todos os restantes residentes do mesmo prédio foram evacuados, de acordo com a agência russa “Tass”. “Um artefacto explosivo foi encontrado e desativado. Já foram dadas ordens para os residentes regressarem. Está tudo seguro até ao sétimo andar”, afirmou o chefe do distrito, Konstantin Serov, à imprensa.

Serov avançou, também, que o apartamento não pertence aos ocupantes suspeitos. “É necessário tempo para descobrir como é que eles foram lá parar”, acrescentou, não revelando de quantos ocupantes se tratava.

Mas, conforme indicou a Interfax, citando fontes das autoridades, foram detidos três indivíduos. No momento a sua relação com Dzhalílov está a ser investigada. O Comité de Instrução da Rússia, responsável pela investigação do incidente, divulgou que várias pessoas que mantiveram contacto com o alegado bombista suicida foram detidas.



Mais notícias