SANAS ‘importa’ nadadores salvadores para colmatar falta de candidatos

A dificuldade em encontrar nadadores salvadores para cobrir as praias nos meses de Verão tem obrigado a Associação Madeirense para o Socorro no Mar (SANAS) a recorrer ao serviço de continentais.

“Este Verão, contamos com 12 nadadores salvadores oriundos do continente. Alguns já estão cá e hoje chegam mais”, referiu, ao Económico Madeira, Emanuel Silva.

O comandante operacional da Associação Madeirense para o Socorro no Mar adianta que a vigilância nas  praias da Madeira está salvaguardada no período estival, estando destacados para esse fim entre 28 a 30 nadadores-salvadores.

“A carência de nadadores salvadores deve-se ao facto de se tratar de um trabalho temporário, apesar da tabela salarial e das condições oferecidas serem atrativas”, explica Emanuel Silva.

De acordo com o porta-voz do SANAS, mantém-se na Região o interesse pelo curso de nadadores salvador – uma certificação que é válida por três anos – mas  grande parte dos formandos opta por se empregar em empresas ou hotéis com propostas de trabalho de maior duração.



Mais notícias