Salários reais no Estado só subiram duas vezes em 17 anos

Desde o início do milénio só foram feitas duas actualizações reais, a primeira em 2009, o último ano do primeiro mandato de Sócrates, e a segunda em 2014.

Em oito anos, os salários brutos dos funcionários públicos desvalorizaram 10%. O corte real passa para 13% se considerarmos a inflação e o agravamento dos descontos para a ADSE e Caixa Geral de Aposentações (CGA), noticia o Jornal de Negócios. Os trabalhadores não viram os seus salários ser actualizados nestes anos, apesar da subida dos preços e aumento do custo de vida.

O cenário não é o melhor mas, recuando no tempo, a situação só piora. Em 22 anos, apesar dos salários terem sido actualizados anualmente, só em seis anos o reforço foi real. Isto é, o reforço foi superior à inflação, avança o mesmo jornal com base em dados do INE.

Desde o início do milénio só foram feitas duas actualizações reais, a primeira em 2009, o último ano do primeiro mandato de Sócrates, e a segunda em 2014. Importa referir que esta última valorização real dos salários não surgiu de uma actualização salarial mas sim pela inflação ter sido negativa.

À desvalorização salarial junta-se a subida dos descontos para a ADSE, de 1,5% para 3,5%, e o aumento das contribuições para a CGA de 10% para 11%.

O Ministério das Finanças recebe hoje os Sindicatos da Função Pública para discutir o Orçamento de Estado para o próximo ano.





Mais notícias