InícioSociedadeSabe como “desmascarar” páginas falsas na internet? Então siga estas 10 dicas

Sabe como “desmascarar” páginas falsas na internet? Então siga estas 10 dicas

Cerca de um terço dos utilizadores em Portugal assume que fornece dados de contas ou cartões de pagamento e outro tipo de informação pessoal na Internet.

Reuters
Reuters

A Internet é um mundo cheio de potencialidades, uma fonte inesgotável de recursos e funcionalidades, mas pode representar uma série de riscos que ameaçam a nossa segurança e bem-estar. É por isso também sinónimo de atenções redobradas e prevenção.

Em Portugal, os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), mostram que 74% das famílias portuguesas acedem regularmente à Internet. O valor aumentou 20% desde o início da década e a tendência aponta para que a percentagem venha a aumentar ainda mais nos próximos tempos.

Os dados do INE mostram que 29% dos utilizadores partilham informações pessoais, como o nome, data de nascimento ou o número do cartão de identificação, na rede. Cerca de um terço destes utilizadores refere ainda ter fornecido pela internet dados de contas ou cartões de pagamento ou ter disponibilizado outro tipo de informação pessoal, como fotografias identificativas ou a localização atual. Mas será que o fazem em segurança?

Em todo o mundo multiplicam-se os casos de pessoas que viram os seus dados pessoais e passwords roubadas ou que “compraram” produtos que nunca chegaram a ver e serviços que nunca chegaram a usufruir. Vários sites de bancos e empresas são colonizados pelos chamados piratas informáticos. Por isso, todo o cuidado é pouco e o difícil é certamente não se deixar enganar.

O programa da União Europeia “Internet mais segura” deixa algumas dicas para assegurar que navega de forma protegida e que retira o melhor proveito possível das funcionalidades do mundo online. Ora espreite dez conselhos que selecionamos para si:

 

1- Confirme o endereço de email para ver se escreveu tudo corretamente e para se assegurar que vai parar ao sítio que deseja;

2- Verifique se há um pequeno cadeado verde no canto esquerdo da barra de pesquisa (especialmente em websites que exigem números de cartões de crédito ou registo e passwords). Esse sinal comprovará que está numa página segura;

3- Observe atentamente o endereço de email constante na barra de pesquisa. Quando se trata de informação mais pessoal, os sites começam por norma com “https” ao invés do tradicional “http”;

4- Assegure-se de que em algum lugar da página aparece a indicação de que se trata de um site oficial. Embora não seja suficiente (como é óbvio), pode ser um bom indício;

5- Saiba que apesar de tentarem reproduzir os sites originais ao mais ínfimo pormenor, os endereços adulterados, têm por vezes lapsos no design das páginas ou na navegação entre elas;

6- Evite fornecer dados pessoais quando usa computadores ou redes de Wi-Fi públicos. Isso pode ajudá-lo a ter uma navegação online mais segura e eficiente;

7- Confira os comentários de outros utilizadores em relação à página que procura. O conselho vale sobretudo para aquelas páginas que nunca visitou antes;

8- No caso de se encontrar num site de compras, vale sempre a pena fazer uma comparação entre os preços descritos na página e o preço médio do mercado, não vá ser enganado!;

9- Se quer fazer compras online tenha atenção às “letras miúdas” e evite dar consentimento a temos e condições que não leu na íntegra;

10- Em caso de dúvida em distinguir os websites confiáveis dos que não o são, pode sempre utilizar o site espanhol desenmascara.me, que fará essa distinção por si. A plataforma já identificou mais de 77 mil páginas suspeitas.

  • Rpsreal

    No ponto 1 e 3 escreveram “endereço de email”. Isso está errado o termo correto é enderreço web.

    • Viva a falência total!

      São burros…

  • Revoltado

    Por mim estou a vontade…se do outro lado por exemplo a banca estiverem atentos quando aparecer alguém com alguma coisa que em meu nome vejam a idade e a foto……risos..e o nome pois vão apanhar o tipo logo ai ao balcão fechem as portas do banco e comunicam a policia…pois tudo está falso…nunca dou o meu nome verdadeiro, nunca dou moradas verdadeiras, números de telefone…nada..apenas os emails…comigo esses bandidos são apanhados logo a primeira…se não forem da banca? se forem já é mais dificil…

  • José Matias

    O portal http://www.scamadviser.com/ dá-nos todas as indicações possíveis sobre o site com quem desejamos negociar. Além disso deve-se fazer o pagamento apenas através de sistemas com os quais a empresa negociadora teve de fazer um contrato para receber o dinheiro. Um dos pagamentos seguros é através do “paypal”. Em caso de reclamação é mais fácil receber o dinheiro de volta. Quando a mensagens a pedir dados, são normalmente pedidos de “pesca” de dados e devem ir para o lixo, com a designação de correio não desejado. Deve-se fazer consultas e pagamentos bancários somente a partir de casa em computador convenientemente protegido com antivirus e antimalware actualizados e desinfectados.

  • Trumputin.

    É só ladrões.

  • NovoNick

    Método mais eficaz e eficiente é não utilizar o DNS.