Ryanair separa casais e grupos deliberadamente, defende estudo

Ryanair diz que a atribuição de lugares é aleatória mas os resultados do estudo da BBC revelam o contrário.

Nas últimas semanas, muitos passageiros da Ryanair acusaram a companhia aérea de baixo custo irlandesa de ter alterado as regras de embarque, e de estar a separar casais e grupos deliberadamente. Isto porque os clientes que não pagavam por um lugar reservado (2€-15€) estavam a ser propositadamente colocados nos bancos do meio, em filas separadas.

Por sua vez, a Ryanair diz que a atribuição de lugares é aleatória. Mas os resultados do estudo da BBC revelam o contrário. A BBC pediu a um grupo de investigadores da Universidade de Oxford para comprarem bilhetes para quatro grupos, cada um com quatro pessoas, de forma a testar a aleatoriedade na distribuição das lugares. O resultado foi que todos os 16 passageiros acabaram nos bancos do meio.

Jennifer Rogers, diretora da Oxford University Statistical Consultancy, disse que a probabilidade de isto acontecer era de 1 em 540.000.000.

O estudo também analisou a distribuição de lugares por filas. Segundo os cálculos da investigação, alguém de um dos grupos ficaria, em média, sentado a dez filas de distância de um dos seus amigos. No entanto, em dois dos voos chegou a haver uma distância de 26 filas.

Um porta-voz da Ryanair afirmou que a distribuição de lugares é efetivamente aleatória. “A razão para que as pessoas fiquem cada vez mais nos lugares do meio é justificada pelo facto de cada vez mais e mais passageiros escolherem os nossos lugares reservados (por apenas 2€), optando na grande maioria das vezes por lugares junto ao corredor ou à janela”.



Mais notícias