Rússia reivindica Monte Everest (mas foi só um “erro técnico”)

A embaixada russa no Reino Unido tem por hábito saudar os seus seguidores no Twitter um "bom dia" acompanhado de uma fotografia de um local emblemático da Rússia. Mas desta vez, a imagem não dizia respeito a nenhum lugar russo.

É o maior país em termos de área territorial coberta, ocupando cerca de um nono da superfície terrestre do planeta Terra, mas ainda assim a Rússia tem uma série de reivindicações territoriais nem sempre vistas com bons olhos. Esta segunda-feira, a embaixada russa no Reino Unido surpreendeu a internet com uma nova reivindicação: nada menos do que a montanha mais alta do mundo, o Monte Everest.

Como é habitual, a embaixada da Rússia em território britânico saudou os seus seguidores na rede social Twitter com a também habitual saudação de “bom dia”, acompanhada de uma fotografia de um local emblemático da Rússia. No entanto, o que não é habitual, ou pelo menos, não era expectável, era que a publicação viesse acompanhada por uma foto de um local que não faz parte da administração russa.

Monte Everest Rússia

As reações dos internautas não tardaram a chegar. Entre os vários comentários deixados na publicação, entretanto apagada, houve quem comparasse a reivindicação russa do Everest aos intentos imperialistas na Crimeia e quem explicasse o “lapso” com uma confusão entre o Everest, montanha mais alta do mundo, e o monte Elbrus, montanha mais alta do Cáucaso, essa sim sob jurisdição da Rússia.

Em resposta ao sucedido, a embaixada russa afirmou que se tratou “apenas de um erro técnico” e que “é claro, que o Everest não pertence à Rússia”. Para substituir a publicação, a embaixada reeditou a sua habitual saudação matinal, desta vez acompanhada pela emblemática Catedral de São Basílio, em Moscovo.



Mais notícias