Rocha Andrade: 10 mil regularizações através do PERES eram “consideradas incobráveis”

Secretário dos Assuntos Fiscais rejeitou, ainda, a ideia que o programa tenha servido apenas para beneficiar as grandes empresas.

Cristina Bernardo

O secretário dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha, prestou esclarecimentos no parlamento, esta terça-feira, sobre os resultados do Plano Especial de Redução do Endividamento ao Estado (PERES), a pedido do CDS-PP.

Rocha Andrade sublinhou que dos 90 mil contribuintes que procederam à regularização de dívidas através do programa, “cerca de 10 mil eram considerados incobráveis”, escreve o Dinheiro Vivo.

O secretário dos Assuntos Fiscais rejeitou, ainda, a ideia que o programa tenha servido apenas para beneficiar as grandes empresas, salientando que cerca de dois terços das 90 mil adesões foram de pessoas singulares.

O Estado perdoou às empresas 168,4 milhões em juros, custas e coimas através do regime excecional de regularização de dívidas ao Fisco e à Segurança Social. A informação foi dada ao PSD pelo gabinete de Mário Centeno e divulgada na edição desta terça-feira pelo Jornal de Negócios.





Mais notícias