Robôs e turbinas eólicas podem ser alvo de hackers

A empresa Black Hat de cibersegurança expôs novas vulnerabilidades nos robôs das fábricas e nas turbinas eólicas que os piratas informáticos podem explorar.

De acordo com os peritos em cibersegurança da Black Hat, os robôs de fábricas e as turbinas eólicas podem ser alvo de ataques por piratas informáticos. A empresa divulgou vulnerabilidades que podem ser utilizadas por hackers para pedir resgates e mostrou como podem ser pirateados os robôs para que parem de trabalhar, alterar produtos ou mesmo ferir humanos, e como parar a produção de energia pelas turbinas eólicas.

Estes peritos afirmam ao Financial Times que os piratas podem utilizar ransomware para exigir resgates aos industriais, que terão de escolher entre prejudicar a produção e pagar aos piratas.

Jason Staggs, um dos investigadores, encontrou grandes falhas nas turbinas eólicas. Os controladores não encriptaram as mensagens, usando por vezes passwords de sistema e não separando as redes, o que quer dizer que, se um hacker tomasse o controlo de uma torre, poderia mesmo controlar todas.

O mesmo investigador da Black Hat estima que o encerramento de uma turbina eólica por um dia custaria até 700 mil dólares à empresa que a gere. “E se a empresa não quiser pagar, o hacker pode mesmo causar danos ainda mais caros às turbinas”.

O Ransomware tem crescido, diz este especialista ao Financial Times, uma vez que cerca de 70% das empresas paga os resgates, de acordo com uma pesquisa da IBM.

Federico Maggi, da Trend Micro, também envolvida em cibersegurança, trabalhou com investigadores italianos do Politécnico de Milão para expor vulnerabiliddes em robôs utilizados em várias indústrias, desde a indústria automóvel à de bens de consumo, conseguindo operar estes robôs remotamente. A falha, encontrada em robôs construídos pela ABB, já foi reparada, com updates ao software que autentica os utilizadores.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB