Retalho reage em baixa às propostas preliminares do OE 2018 e arrasta PSI 20

Os investidores na bolsa portuguesa mostram-se reticentes no dia em que o ministro das Finanças, Mário Centeno, vai à Assembleia da República entregar o Orçamento de Estado para o próximo ano.

Paulo Whitaker/Reuters

O principal índice português abriu sessão desta quinta-feira a negociar em terreno negativo, depois de três sessões consecutivas de ganhos. O PSI 20 negoceia a perder 0,12% para os 5.432,90 pontos, pressionado pelo setor do retalho e a NOS.

A Jerónimo Martins é a cotada que mais perde 2,85% para os 15,850 euros. No setor retalhista, também a Sonae resvala 0,39% para os 1,021 euros.

Em queda está também a NOS, que cai 0,06% para os 5,309 euros. A EDP Renováveis recua0,38% para os 7,099 euros e a Novabase perde 0,44% para os 3,619 euros.

Em contraciclo, está o setor da banca e das energéticas. O BCP sobe 0,165 para os 0,246 euros. No setor da energia, a EDP avança 0,29% para os 3,102 euros, a Galp sobe 0,10% para os 15,120 euros e a REN ganha 0,29% para os 2,759 euros.

A evitar maiores perdas estão também a Pharol (4,31%), a Altri (1,79%), a Semapa (0,42%), a Navigator (0,58%) e os CTT (0,02%).

Os investidores na bolsa portuguesa mostram-se reticentes no dia em que o ministro das Finanças, Mário Centeno, vai à Assembleia da República entregar o Orçamento de Estado para o próximo ano. Entre as medidas que constam na proposta preliminar, estão medidas que irão afetar sobretudo o setor do retalho, que está hoje a negociar em baixa. São elas, a subida das bebidas açucaradas e o agravamento do imposto sobre as cervejas.

No caso das bebidas com elevada concentração de açúcar acreditam-se que o Governo possa vir a aumentar a taxa até 1,5%e definir uma nova taxa consoante o grau de açúcar. Já no caso das cervejas, as bebidas espirituosas e os vinhos licorosos, a proposta preliminar do Executivo socialista prevê um aumento na ordem dos 1,5%.

Esta quinta-feira é também dia de revelação de dados económicos relevantes na União Europeia e nos Estados Unidos. Na Zona Euro serão conhecidos os dados da produção industrial relativos ao mês de setembro e nos Estados Unidos serão conhecidos os novos pedidos de subsídio de desemprego e índice de preços na produção.

Por cá, o Instituto Nacional de Estatística (INE) revela os dados da inflação relativo ao mês de setembro.



Mais notícias